Dia 62 – Parque Nacional Los Glaciares – Glaciar Perito Moreno

{Quinta, 25 de abril de 2019} Dia de conhecer o Glaciar Perito Moreno, mais um lugar que estava em nossa lista de destinos dos sonhos.

Ontem ficamos até às 1h da manhã trabalhando, ou seja, madrugada de hoje. Por isso não conseguimos acordar cedo como tínhamos combinado com a Carina e o João, do Crônicas na Bagagem.

Era para termos saído às 8h, mas só ficamos pronto às 9h. Já tínhamos avisado que iríamos atrasar, para eles irem antes frente e que nos encontraríamos lá no Glaciar Perito Moreno. Mal sabíamos nós que o parque é grande pra caramba.

Parque Nacional Los Glaciares

A distância de El Calafate até a entrada do Parque Nacional Los Glaciares é de 50 km. O caminho é todo de asfalto e bem sinalizado, então não tem erro.

A entrada do parque custa $ 700 pesos argentinos cada um, o que dá uns R$ 70,00.

Rodamos mais 25 km dentro do parque, por uma estrada bem bonita e cheia de curvas.

Vimos o glaciar bem de longe na estrada e paramos em alguns mirantes pelo caminho. De longe já é bonito, mas de perto é inacreditável!

Chegamos no estacionamento do Glaciar Perito Moreno, estacionamos e pegamos um ônibus gratuito do parque, que nos levou até as passarelas, bem próximas ao glaciar.

No começo das passarelas tem uma pequena lanchonete e banheiros. Tem também uma lojinha de lembrancinhas e o local onde você retira as fotos que os fotógrafos fazem de você nos mirantes.

Vale a pena? Acho que não. Custam uma fortuna e ficam feias. Sério, nada demais naquelas fotos.

Próximo a esse lugar fica a parada de ônibus do parque.

Vimos o carro do João e da Carina lá no estacionamento, mas nada de encontrar com eles ainda. Até perdemos as esperanças, pois o lugar é bem maior do que imaginávamos.

Como é o parque do Glaciar Perito Moreno

São 4 passarelas com distâncias de 570 a 1.117 metros, com duração de 45 minutos a 1h30. Tem passarelas de dificuldade baixa, média e alta. E tem também a passarela acessível, que não tem escadas e leva até o mirante central.

A principal é a passarela central, de 600 metros, 1 hora de caminhada e dificuldade baixa. E você vai ver o Glaciar Perito Moreno bem de frente, no meio dele.

O dia estava lindo, do jeito que imaginamos quando vimos a previsão do tempo e decidimos esperar para ir hoje.

Escutamos de longe alguns estrondos do gelo se desprendendo da geleira, então fomos logo para as trilhas.

Que impressionante! Os tons da geleira vão do branco, mais branco que já vi, até um azul fascinante, que nos deixa paralisados olhando para tudo aquilo a nossa frente.

Glaciar Perito Moreno

E o único pensamento que nos vem a cabeça é agradecer por ter a oportunidade de ver essa maravilha tão de pertinho.

Escutamos vários estrondos do gelo se desprendendo da geleira o tempo todo, mas eram sempre “pequenos pedaços”. Pequenos entre aspas, pois a geleira tem 70 metros de altura e perto disso tudo, cada pedaço parecia um cubo de gelo que a gente deixa cair do congelador quando quer colocar mais gelo do que cabe no copo.

Vimos dois pedaços de 70 metros (ou quase isso) se desprender, mas é tão rápido que não deu tempo de fotografar. O barulho é de algo trincando e depois um estrondo super alto, do gelo se chocando contra a água.

O Glaciar Perito Moreno é maior da Argentina e o 2º maior da América do Sul. Mede aproximadamente 70 quilômetros, desde sua nascente, no vulcão Lautaro, até aqui a nossa frente. E são 5 quilômetros de largura.

Glaciar Perito Moreno

Paramos em um cantinho mais reservado para gravar o vlog para o YouTube e na hora de sair quem a gente encontra?

Eles, a Carina e o João. Continuamos as caminhadas juntos, contando e ouvindo histórias de viagem.

Paramos em um mirante para almoçar. O sol nos esquentava de pouco em pouco enquanto não conseguíamos tirar os olhos da geleira.

Andamos até quase o final da passarela De la Costa, que vai beirando o Lago Argentino, mas chegou uma hora que não tinha mais vista para o glaciar.

Encontramos dois brasileiros que vieram pedir informações sobre o lado da passarela de onde nós estávamos vindo e aproveitamos para pedir sobre o lado que eles estavam vindo. Disseram-nos que não tinha nada demais do que já estávamos vendo daquele ponto, então resolvemos voltar.

Glaciar Perito Moreno

Que bom que voltamos, pois conseguimos ver outro pedaço enorme de gelo se desprender. Mas novamente não conseguimos fotografar e nem filmar.

É muito rápido, você tem que estar com a câmera ligada e pronto o tempo todo. Tem que ter muita bateria extra e cartão de memória, além de não ficar muito longe dos mirantes.

Como o tempo passou rápido!! Imaginamos que seria um passeio de uma hora, mas no fim das contas já estava quase entardecendo quando percebemos.

Hora de nos despedirmos do Glaciar Perito Moreno e agradecer pelo dia lindo, ensolarado e divertido.

Pegamos o ônibus até o estacionamento onde deixamos o carro e quando estávamos chegando, falei pro Douglas, “Olha lá, até aqui no parque tem cão de guarda do carro”.

Desembarcamos e fomos em direção ao carro, quando chegamos perto percebemos que não eram cachorros e sim raposas. Uma mais linda que a outra.

Glaciar Perito Moreno

Ficamos lá admirando os bichinhos, enrolando para ir embora.

De volta a El Calafate

Nos despedimos da Carina e do João e pegamos o caminho de volta para o camping.

Ah, mas antes decidimos comprar o botijão de gás ou um fogareiro menor para conseguirmos preparar a nossa própria comida.

Já demoramos demais pra comprar e não está dando mais para depender de água quente para comer comida instantânea. Os restaurantes estão saindo cada vez mais caros e nem sempre temos cozinha de hostel para usar.

Rodamos a cidade e os preços em El Calafate estão muito altos. Anotamos tudo para a noite sentar, analisar e decidir o que vamos fazer a respeito.

E pra janta de hoje temos empanadas argentinas. Gente, são muito gostosas, as de carne principalmente. Aqui as grandes custam uns 50 pesos (R$ 5,00) cada.

O dia foi bom demais, não foi? E você já conheceu o Glaciar Perito Moreno?

Acompanhe essa saga do fogão no diário de amanhã. Vem com a gente!!!

Quer saber mais sobre essa viagem? Confira esse post aqui melevadeleve.com/viagem-de-carro-pela-america-do-sul

Números do dia:

Distância percorrida: 143 km
Tempo: 10h entre dirigir, paradas e passeios.
Combustível: $ 35,80/l pesos argentinos (aprox. R$ 3,58/l) em El Calafate
Entrada: $ 1.400 pesos argentinos (aprox. R$ 140,00) para os dois.

Contribua para essa viagem

Está gostando da nossa viagem de carro pela América do Sul? Então use nossos links para reservar as suas viagens. O valor não muda para você e a comissão que ganhamos é bem pequena, o preço de um cafezinho que você toma enquanto está lendo e se divertindo com o diário da viagem e as nossas dicas.

Hospedagem: Booking.com ou Airbnb (Airbnb com desconto de R$ 130,00 na primeira hospedagem e R$ 49,00 em uma experiência)
Seguro Viagem: Seguros Promo (com 5% de desconto)
Passagens Aéreas: Passagens Promo
Aluguel de carro: Rentcars
Transfers: Viator
Passeios: ViatorTiqetsTourOn e Get Your Guide
Transferência online de dinheiro para o exterior: Transfer Wise

Agradecimentos aos nossos apoiadores dessa viagem:

Compartilhe
Julia Flores

Julia Flores

Formada em Turismo e Hotelaria, com pós-graduação em Marketing Estratégico e experiência com marketing de destinos turísticos. Amo viajar, não pelos carimbos no passaporte ou pelas selfies, mas pelo o que as viagens me proporcionam. Gosto de praticar esportes, mas também adoro ficar de preguiça no sofá em dias frios ou chuvosos.

Deixe seu comentário