{Quinta, 18 de abril de 2019} A noite foi boa, o vento não estava tão forte e o frio de 4ºC já não tem efeito sobre nós.

Acordamos às 7h40, apesar do despertador ter sido colocado para às 6h.

Ao abrir as portas da campervan, nos deparamos com os Cuernos de Torres del Paine bem atrás do carro.

Foi uma sensação muito boa acordar tão próximo da natureza. Era isso que esperávamos nessa viagem de campervan, cenários lindos no ‘quintal’ da nossa casa.

O banheiro fica a alguns metros do carro, então lá fomos nós enfrentando o frio.

Depois peguei água fervente na cozinha com o Erick enquanto a Ju preparava a mesa para o café da manhã.

A chuva fraca deu uma pausa e pudemos abrir a porta traseira da campervan e apreciar a vista de Torres del Paine.

Lavamos a louça, tiramos o lixo e pegamos água quente para hoje.

Ajeitei e conferi o carro, coloquei água no limpador e no radiador. Sempre tenho que lembrar de ligar o disjuntor que carrega a bateria traseira. Enfim, cuidados com acasa todos nós precisamos ter, não importa como a casa é.

Ontem o Mirador de Los Cuernos estava sem visibilidade, então hoje voltamos lá, com esperança que as nuvens fossem embora. Esperamos uns 30 minutos e nada. Então seguimos para a entrada do parque.

Parque Nacional Torres del Paine

Preenchemos a ficha de entrada, pagamos a taxa do parque para estrangiros ($ 21 mil pesos chilenos/cada) e pegamos mais infos com a guarda parque.

Já dentro do parque a estrada é de terra e rípio e é bem esburacada, mas dá para andar com o carro comum.

O melhor caminho dentro do parque é entrar pela Portaria Serrano, pois assim a estrada está de frente aos Cuernos del Paine. Mas com o tempo fechado não adiantou muito.

Seguimos em direção ao Lago Grey e um pouco depois da entrada do Lago Grey Hotel já avistamos um iceberg ao longe, todo azul. Uma imagem impressionante.

Guarderia Grey

Chegamos ao Grey Ranger Station, ou Guardería Grey, às 12h.

Lá, além do local dos guarda-parques há um restaurante com banheiro que fecha à noite e em frente outro banheiro, administrado pelo parque, que fica aberto 24 h.

No restaurante dá para conseguir água quente, por $ 500 pesos chilenos como gorjeta. Então vamos almoçar purê instantâneo e lentilha.

Lago Grey

Começamos a caminhada do Lago Grey. O início é muito fácil, como um passeio no bosque. Achamos estranho. Era isso que o parque nos reservava? Que sem graça!

Lago Grey Torres del Paine Chile

De umas clareiras no bosque já deu para ver o iceberg perto da prainha, que tínhamos visto da estrada.

Quando acabou o bosque, vimos dois grandes lagos e um caminho de pedras no meio. Pela prainha fomos até mais perto do iceberg. Ele se desprendeu do Glaciar Grey e veio trazido pelo vento, sempre implácavel e gelado.

Lago Grey Torres del Paine Chile

A chuva ajudava a piorar o caminho da extensa praia e na metade dela vimos que havia bastante gelo no fim dela.

Andamos até lá e depois fizemos a trilha do mirante, beirando a encosta da praia. Muito vento e chuva no rosto, um frio intenso.

Fomos ladeando o iceberg vendo que por dentro o azul ia se acentuando.

No mirante uma surpresa, outro iceberg do outro lado do lago. Ainda mais azul, apesar de menor.

Como a chuva apertou, voltamos rapidamente.

Hora de esquentar o corpo

Já no carro, tiramos a roupa molhada, tomamos um chá e depois comemos os frutos secos de trilha. Descansados, a Ju fez uma sopa quentinha.

Enchemos a térmica no restaurante. O pessoal foi bem legal, não cobraram nada, mesmo sendo três garrafas. Deixei $ 500 pesos chilenos na latinha de gorjetas (dá uns 3 reais).

Onde dormir em Torres del Paine em uma campervan?

Decidimos seguir até a próxima parada, a sede administrativa (centro de visitantes). No caminho vimos águias bem de perto, lebres correndo pelo campo e guanacos de longe.

Foi, como um safari, parando na estrada de rípio para fotografar e observar, o que nos fez chegar na sede às 17h.

A guarda parque foi super simpática com a gente e nos sentimos bem acolhidos.

Montamos a campervan no modo sala, comemos um sanduíche de queijos, salame e tomate e tomamos chá.

O banheiro fecha à noite, mas não tivemos problemas com isso.

Amanhã esperamos que o tempo melhore para vermos melhor as paisagens desse parque.

Quer saber mais sobre essa viagem? Confira esse post aqui melevadeleve.com/viagem-de-carro-pela-america-do-sul

Números do dia:

Distância percorrida: 43 km.
Água quente: $ 500 pesos chilenos (R$ 3,00)

Contribua para essa viagem

Está gostando da nossa viagem de carro pela América do Sul? Então use nossos links para reservar as suas viagens. O valor não muda para você e a comissão que ganhamos é bem pequena, o preço de um cafezinho que você toma enquanto está lendo e se divertindo com o diário da viagem e as nossas dicas.

Hospedagem: Booking.com ou Airbnb (Airbnb com desconto de R$ 130,00 na primeira hospedagem e R$ 49,00 em uma experiência)
Seguro Viagem: Seguros Promo (com 5% de desconto)
Passagens Aéreas: Passagens Promo
Aluguel de carro: Rentcars
Transfers: Viator
Passeios: ViatorTiqetsTourOn e Get Your Guide
Chip de celular para internet móvel e telefone: My Sim Travel
Transferência online de dinheiro para o exterior: Transfer Wise

Agradecimentos aos nossos apoiadores dessa viagem:

Julia Flores

Formada em Turismo e Hotelaria, com pós-graduação em Marketing Estratégico e experiência com marketing de destinos turísticos. Amo viajar, não pelos carimbos no passaporte ou pelas selfies, mas pelo o que as viagens me proporcionam. Gosto de praticar esportes, mas também adoro ficar de preguiça no sofá em dias frios ou chuvosos.

2 comentários em “Dia 55 – Lago Grey, Parque Nacional Torres del Paine

Deixe seu comentário