Como é bom acordar na praia. O dia amanheceu lindo em Ilhabela, ensolarado, vento leve com uma brisa gostosa de mar. São Pedro e meu amigo Sol resolveram me dar esse presente de aniversário.

Descemos para tomar café da manhã e o Sr. João lá estava, com um sorriso no rosto me desejando feliz aniversário.

Fiquei surpresa, pois não lembrava de ter mencionado nada. Claro… eu tinha preenchido a ficha de cadastro da pousada, pensei. Achei muita delicadeza deles terem esse cuidado todo.

Algumas praias de Ilhabela, de Norte a Sul

Logo depois do café partimos para conhecer as praias de Ilhabela e descobrir o que tem para ver e fazer. Ilhabela é uma ilha super comprida, são 130 km de costa e 39 praias.

Veja aqui onde se hospedar em Ilhabela. Aqui você pode comparar as locadoras para alugar de carro em 10x.

Mas de carro só dá para ir nas praias que estão viradas para o continente. As praias viradas para o oceano atlântico só são possíveis de visitar caminhando, com carro 4×4 ou de barco. Apesar do dia estar ensolarado, não estava tão quente para fazer esse passeio.

Saímos em direção a ponta norte da ilha, para a praia do Jabaquara.

Essa é a última praia que dá para chegar de carro. Pelo caminho, a cada trecho ficávamos ainda mais encantados com o lugar, com a leveza que as pessoas levam suas vidas ali. Até bateu uma saudade de quando morávamos em Balneário Camboriú, no tempo em que a cidade era super tranquila, bem antes da construção dos inúmeros arranha-céus.

Aqui as pessoas costumam correr na orla e usam bastante a bicicleta como meio de transporte. Paramos em uma faixa de pedestres para dar passagem a algumas pessoas que estavam aguardando.

Do outro lado da rua, um ciclista vinha rapidamente dando a impressão que queria aproveitar para atravessar também. Aguardamos, pois estávamos bem na frente segurando os outros carros que vinham atrás. Quando o ciclista vira no meio da avenida para pegar a ciclofaixa.

Começamos a rir. Foi tipo “te enganeeeeii” rá, “pegadinha do malandro”. O senhor que estava na bicicleta começou a pedir desculpas dizendo “não quis te enganar não”, todo preocupado.

Falamos pra ele que não tinha problema e fomos rindo da situação. E ao mesmo tempo refletindo sobre essa gentileza e leveza que essas pessoas tem para levar a vida. Os pequenos gestos é que mais impressionam.

Leia também: Onde comer em Ilhabela | Viagem surpresa Ilhabela 1 | Viagem surpresa Ilhabela 3

As Praias de Ilhabela

Caminho até a Praia do Jabaquara

Da Praia Grande, onde estávamos hospedados, até a Praia do Jabaquara são 25 km. Nós levamos mais ou menos 1 hora para fazer esse trecho, bem devagar, para observar o cotidiano.

Até a praia Ponta das Canas o caminho é de asfalto e super tranquilo. Mas depois, até a praia do Jabaquara são 8 km de chão batido com muita poeira levantando. Nesse trecho não recomendamos ir quando está chovendo ou logo depois da chuva, a não ser que seu carro seja um 4×4.

Tem muito buraco, muito sobe e desce, por isso achamos perigoso para dias de chuva. E olha que estamos acostumados. Essa foto acima era de uma parte boa até ;P

Quando estávamos quase chegando, avistamos a praia lá de cima na estrada. Fomos obrigados a parar para tirar umas fotos.

Os tons de verde do mar, azul do ceú e amarelo da areia faziam uma bela composição de encher os olhos.

Continuamos mais um pouco, uns 400 metros, e logo avistamos placas de estacionamento. Achamos estranho, pela distância que ainda estávamos da praia, mas é isso mesmo. Você até pode estacionar ali na estrada mesmo.

Praia do Jabaquara

Decidimos ficar no segundo estacionamento. Pagamos R$ 10,00 e paramos em uma sombra.

Nada de estrutura para os visitantes, é só um terreno irregular. Um senhor fica no carro dele, desce para ajudar a estacionar e cobrar. O pagamento é na hora que você chega. Esse estacionamento fica um pouco longe da praia e o caminho é complicado cheio de desníveis, e meio íngreme.

Pra quem está com criança ou pessoas que tenham algum tipo de dificuldade para andar, ou até alguém bem atrapalhado no grupo 😛 é melhor parar no primeiro estacionamento.

Neste outro estacionamento o valor era o mesmo, R$ 10,00 carro e  R$ 5,00 moto, mas a diferença é a comodidade. Você estaciona em um lugar plano, atrás do único restaurante que tem ali e está praticamente na praia. Então #ficaadica.

A praia nem preciso dizer que é muito linda e merece uma visita. Areia fofa, com bastante espaço para colocar um guarda-sol e aproveitar a praia. Não tinha muita gente, acho que por ser inverno. No verão deve lotar, provavelmente.

O mar parecia tranquilo, mas a água estava geladíssima.

Bem no canto direito da praia tem um lugar para contratar passeios de barco para a Praia da Fome e Cachoeira do Poço. Também alugam caiaque e stand up paddle.

Almoço na praia do Jabaquara

Pensamos em almoçar ali antes de seguir para as outras praias, mas desistimos. O Restaurante Canto do Jabaquara é o único nesta praia e é muito caro.

Pedimos apenas uma porção de mandioca frita (R$ 23,00). Era o prato mais barato e o que todos ao redor estavam pedindo 😀 Sinceramente, estava uma delícia, muito bem feito, crocante por fora e macia por dentro. O refrigerante custava R$ 5,00 e o suco R$ 10,00. A porção de isca de peixe custava R$ 60,00.

O atendimento é bom. O restaurante é agradável, com mesas em um deck de madeira na areia.

Dizem que nessa praia tem muitos borrachudos e para espantar eles somente repelente de creme ou um que é feito na ilha.

Todos vinham me falar para comprar, pois eu sou branquela e os bichinhos adoram. Sei não, usamos o repelente spray e não tive problemas. Eu andava com o repelente na bolsa e reaplicava sempre que possível. O repelente feito em Ilhabela custa R$ 20,00 e é vendido em vários lugares na ilha, fácil de achar.

De volta para a estrada, seguimos a procura da próxima praia, no sentido voltando ao sul. A estrada tem placas indicando a entrada para a praia que você está e quantos km faltam para a próxima.

Mas na maioria das praias de Ilhabela você precisa estacionar na estrada, que é super estreita, e andar por alguma trilha ou ruela até chegar na praia. Então procuramos uma que tivesse aqueles bolsões de estacionamento, até porque não conseguiríamos ver todas as praias em um único dia mesmo.

Praia Pedra do Sino

Depois de andarmos uns 10 km em direção sul da ilha, chegamos a praia Pedra do Sino. Como tem bolsão de estacionamento gratuito, foi bem mais fácil para parar. Essa praia já tem uma infraestrutura bem melhor e consequentemente, é uma praia mais frequentada também. Percebemos que a maioria do público é família com crianças pequenas.

O mar aqui era bem calminho e com água um pouco mais quente. Tem o Restaurante Pedra do Sino na ponta direita e para o lado esquerdo um quiosque. Ao lado desse restaurante, tem uma passarela que leva até um mirante com pedras de frente para o mar.

Próximo a calçada tem vários coqueiros bem altos que enfeitam a paisagem, dando um charme para a praia, que já é bonita.

O bom destas praias é que são balneários, então não ficam com águas tão agitadas. A faixa de areia é curta, mas dá para aproveitar.

Tinha algumas pessoas praticando stand up paddle e canoagem.

Mirante Engenho d’água

Partimos para a próxima praia e 2 km depois, encontramos o mirante Engenho d’água. Fica ao lado do Iate Club Santos.

Com uma bela vista para São Sebastião, praia Barreiros e Santa Tereza.

Daqui dá para ver os barcos ancorados no pier. O mirante estava vazio.

Não achamos a entrada para a Praia de Barreiros, mas do alto pudemos ver um pouco mais da beleza de Ilhabela.

É bem fácil para estacionar, mas tome cuidado ao manobrar para sair. As ruas são estreitas e esta parada fica próxima a uma curva. O estacionamento é gratuito e pequeno, com lugar para 13 carros.

Praia Santa Tereza

Seguimos adiante, andamos uns 700 metros e paramos na Praia Santa Tereza. Aqui não tem aqueles bolsões de estacionamento, então tem que parar na rua mesmo, mas tem lugar para estacionar e as ruas são mais largas aqui.

Tem uma pracinha com balanço e outros brinquedos para crianças. Como era meu aniversário e eu adoro um balanço, 😛  não resisti e fui me divertir um pouco.

Depois sentamos na areia e ficamos observando aquele monte de barcos que estavam atracados em frente a praia. Areia branquinha, fofa, com o mar bem calmo e algumas crianças brincando pela praia. Aquela tranquilidade deu até pra dar uma relaxada e ler um pouquinho.

Logo a fome começou a apertar e resolvemos almoçar. Estávamos perto da Vila e queríamos provar um restaurante que nos indicaram. Então seguimos caminho.

Vila, o centro histórico de Ilhabela

Esse é um dos lugares que mais gostei em Ilhabela. Muito charmoso com várias opções de restaurantes, café, lojas e uma vista muito bonita para São Sebastião.

Estacionamos o carro perto do pier e fomos direto almoçar no restaurante Cheiro Verde. Aqui na Vila precisa colocar cartão de estacionamento a partir das 14 horas.

O restaurante é simples, comida gostosa e preço justo. Diferente do restaurante do jantar de ontem, o Cheiro Verde é mais para família e grupo de amigos, pois não é romântico. Ou para almoço mesmo.

O tempo passa rápido demais aqui. Depois do almoço saímos para caminhar na vila e quando percebemos já tinha passado 2 horas. Então fomos tomar um café e comer brigadeiro 🙂 Afinal era meu aniversário né, então pode.

O legal aqui na Vila é chegar lá pelas 16h e ficar para jantar. Assim você aproveita bastante.

Mas tinham nos indicado que o melhor lugar para ver o por do sol era bem ao sul, no restaurante Nova Iorqu”i” (é assim mesmo que escreve). Quando percebemos já era quase 17h, então saímos correndo em busca do pôr do sol e nem paramos nas outras praias. Foi uma corrida contra o tempo.

Praia Grande

O sol estava indo embora e queríamos ver do lugar mais bonito, mas estávamos com medo de perder, pois o GPS dizia levaríamos um bom tempo para chegar no restaurante que nos indicaram.

Então resolvemos parar na praia perto da nossa Pousada Lacosta. Se não tivéssemos parado, teríamos perdido um lindo por do sol, com certeza.

Essa praia é muito bonita, com uma faixa de areia grande, levando em consideração as outras praias de Ilhabela. Areia fofinha, água do mar em tons de verde e azul.

Completam a paisagem um pier no canto esquerdo e uma igrejinha linda do lado direito. Tem alguns restaurantes e uma boa infraestrutura para passar o dia, com bolsão gratuito para estacionar o carro.

Pôr do sol em Ilhabela

O pôr do sol em Ilhabela foi espetacular, com cores lindas em vários tons alaranjados. O reflexo no mar se espalha aos poucos até o sol se esconder atrás das montanhas de São Sebastião.

Enquanto o sol parece lutar para ficar um pouco mais no céu, crianças brincam na areia e outros casais param tudo para assistir.

Um presente lindo de aniversário. Foi a vela do meu bolo.

Quando o sol se pôs, aproveitei para agradecer tudo que eu tenho e tudo que já recebi. Difícil pedir alguma coisa além claro de muuuuuitas viagens 😛

#Ficadica Chegue ao lugar que você quer ver o por do sol lá pelas 17h (no inverno) para aproveitar melhor. Como o sol se põe atrás das altas montanhas de São Sebastião, o horário é um pouco mais cedo.

Jantar no restaurante Nova Iorqu”i”

Pra fechar o dia, continuamos para as praias do sul, mas na verdade não vimos quase nada.

Depois da Praia Grande tem a Praia do Curral e Praia do Veloso, e não paramos, pois já estava quase escuro. Depois só tem encosta de pedras, boa para quem gosta de pescar.

Pela estrada não dá pra ver quase nada. Então resolvemos ir até o restaurante que queríamos ter ido para o pôr do sol.

O restaurante Nova Iorqu”i” fica no final do asfalto para quem vai em direção ao sul de Ilhabela, em Frades.

Chegamos lá às 18h, já estava noite e não tinha muitos clientes ainda. O restaurante tem bem cara de praia, aconchegante e atendimento muito bom, mas fica no alto da encosta, longe da praia.

Como já tínhamos almoçado tarde, pedimos apenas umas iscas de peixe e ficamos ali conversando sobre o dia. Perguntamos para o atendente como era o pôr do sol ali, pois sentamos em uma varanda que parecia ter uma vista linda.

Pra nossa surpresa, e alegria, ele nos disse que essa época do ano não dá para ver o pôr do sol dali, pois ele se põe mais para o lado. Mas no verão é o melhor lugar e precisa até reservar mesa, pois fica lotado.

Ainda bem que não conseguimos chegar, já imaginou a frustração que seria. #Ficadica reserve este restaurante no verão.

E assim encerramos nosso dia, com mais brigadeiros e parabéns a caminho da pausada em Ilhabela 🙂

Para planejar o seu roteiro em Ilhabela, leia os outros posts, incluindo o diário da viagem surpresa, aqui. E para saber onde ficar, veja as opções de onde ficar em Ilhabela. Se preferir alugar carro para conhecer Ilhabela, compare preços aqui.

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

Deixe seu comentário