Escolhemos o Bali Bombing Memorial para inaugurar o tema “lugares para não sorrir na foto”. Ele é um memorial às vítimas dos atentados à bomba em Bali, de 2002.

O tema surgiu, pois o turismo com motivação de visitar locais históricos relacionados à guerras e atentados, como ruínas, campos de concentração, locais de tortura e de execução, cemitérios e memoriais, começou a ser estudado como um novo segmento do turismo.

Além disso, é inegável que esses atrativos turísticos, apesar do lado triste, são grandes fontes de aprendizado histórico. Além disso, servem de exemplo para as gerações futuras.

O nome ‘lugares para não sorrir na foto’ se deve ao fato de termos visto turistas fazendo pose para aparecer nas fotos, felizes por estarem lá, como se estivessem na Disney.

Um comportamento inadequado para o que o local representa, talvez por falta de informação, talvez por ignorarem os motivos de tal acontecimento, talvez (esperamos que não seja o caso) por realmente ficarem felizes pelo ocorrido.

O atentado em Bali

Voltando ao assunto, em 12 de outubro de 2002, às 23:05, na área turística de Kuta, um terrorista suicida carregando uma mochila cheia de explosivos, detonou o dispositivo dentro de uma famosa casa noturna de Bali.

A balada, chamada Paddy’s Pub, se localizava na principal rua da região, a Rua Legian.

Quando as pessoas fugiram para fora da balada, uma segunda explosão ocorreu. Dessa vez foi um carro bomba com outro terrorista, 20 segundos depois, em frente à outra balada (o Sari Club) bem em frente ao Paddy’s.

A explosão do carro abriu uma cratera de 1 metro de profundidade no asfalto e destruiu muitas construções ao redor.

202 pessoas morreram e outras 240 ficaram feridas. Entre os mortos, 2 eram brasileiros, além de 88 australianos e 38 indonesianos.

Uma terceira bomba foi detonada em frente ao consulado dos Estados Unidos, essa sem causar muitos danos.

O Bali Bombing Memorial

Exatamente 2 anos depois dos atentados, onde se localizava o Paddy’s Pub, foi construído um memorial às vítimas.

Um novo bar, chamado Paddy’s Pub Reloaded, foi construído também na Rua Legian, próximo ao local original.

O memorial é uma enorme escultura em pedra, em estilo balinês, com uma grande placa de mármore com os nomes e nacionalidades das vítimas. Aos lados são hasteadas as bandeiras das nacionalidades destes.

Na inauguração foi realizada uma cerimônia hindu. Além das autoridades da Indonésia, parentes e amigos das vítimas, autoridades australianas (país da maioria das vítimas) também estiveram presentes.

A cerimônia se repete a cada ano, na data de aniversário do atentado.

Pode-se visitar o memorial também a noite, já que é bem iluminado e seguro. Mas lembre-se: é um lugar para não sorrir na foto.

E você, já visitou algum lugar assim? Comente…

Para planejar a sua viagem em Bali, leia os outros posts da Indonésia aqui e para saber onde ficar, veja as opções de hospedagem. Os passeios e as atividades imperdíveis na ilha e os transfers você encontra aqui.

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

PROGRAME A SUA VIAGEM AQUI

Escolha e reserve: Hotel | Airbnb

  Compare preços e planos e contrate o seu seguro de viagem

Compre antecipado e online entradas de atrativos e passeios: No Brasil | No exterior

Compare as empresas de aluguel de carros e viaje no seu tempo. Pagamento parcelado.

2 comentários em “Bali Bombing Memorial – um lugar para não sorrir na foto

Deixe seu comentário