A Liberdade é o bairro oriental de São Paulo, foi criado por japoneses e cada vez mais conta com chineses e koreanos também.

Mesmo assim, quem não tem os olhos puxados não se sente deslocado lá.

As ruas do bairro da Liberdade são iluminadas com as típicas lanternas vermelhas e nas fachadas das lojas e restaurantes, os nomes dos estabelecimentos são escritos em português, em chinês, coreano e japonês.

Veja aqui onde se hospedar em São Paulo ou reserve pelo Airbnb e ganhe crédito de R$100,00.

O que fazer no bairro da liberdade em São Paulo

O mais legal é que estabelecimentos conhecidos pela padronização visual, como bancos e rede de lanchonetes, abriram uma exceção no bairro e se ‘orientalizaram’ para contribuir com a atmosfera do bairro.

Nos finais de semana, o bairro fica cheio de turistas da própria cidade e de fora também. É comum ver inclusive, alguns estrangeiros.

Compare aqui as locadoras para encontrar o melhor aluguel de carro para viajar por São Paulo.

Feirinha da Liberdade

Um dos principais atrativos do bairro é a tradicional Feirinha da Liberdade, que funciona aos sábados e domingos, das 9h às 18h.

Originalmente chamada de Feira Oriental da Liberdade, a feirinha foi inaugurada em 1975 para expor o trabalho dos imigrantes orientais e a cultura japonesa aos ‘não-descendentes’.

Feirinha da liberdade em São Paulo

Passagem promocional para São Paulo
Passagens aéreas
saindo de

São dezenas de barraquinhas, que antes só vendiam artigos relacionados com a cultura japonesa e agora vendem artesanatos de todos os tipos, como velas decorativas, bijuterias, artigos em couro, tricôs e crochês, vestuário, calçados e bolsas.

O que ver e fazer em São Paulo Liberdade

Mas os destaques da Feirinha da Liberdade continuam sendo os itens orientais, como lanternas de papel com ideogramas japoneses, imagens budistas e xintoístas, utensílios de bambu (colheres, conchas, potes e muito mais), bonecas japonesas, dobraduras decorativas (origami), amuletos de sorte e de proteção, e quadros com motivos orientais.

Bairro japonês em São Paulo

Bonsai

Uma das barraquinhas que se destaca na Feirinha da Liberdade é a de bonsai, do sr. Nelson Hadano, que cultiva as pequenas plantas desde a infância e os vende no bairro da Liberdade há 37 anos.

Ele aprendeu a arte do bonsai com o avô e o pai, mas a profissão vem de muito antes.

Cultivar e cuidar os bonsais acompanha a família do sr. Hadano desde a era dos shogunatos, quando cada shogun governava uma região do que viria a se tornar o Japão unificado.

Um dos ancestrais do sr. Hadano cuidava dos bonsais do castelo de Yamaguchi.

Bairro oriental em São Paulo liberdade

Sr. Hadano conta que um bonsai de verdade precisa ser cultivado por mais de 20 anos e um dessa idade custa milhares de reais. Ele diz que os vendidos entre 20 e 40 reais têm de 5 a 7 anos e ainda não são bonsais de verdade.

Para tornar o bonsai mais bonito, ele decora o vaso com pedacinhos de bambu, transformando os vasos em pequenos jardins.

Para completar a decoração, a esposa dele completa fazendo bonequinhos japoneses de biscuit.

O que comprar no bairro da liberdade

Comida de rua

Se a fome bater enquanto você visita a feirinha, não se preocupe, há diversas barraquinhas de comida bem ao lado. E as opções são bem econômicas, começando em torno de R$3,00.

Onde comer no bairro da liberdade em São Paulo

Nas barraquinhas da Feirinha da Liberdade você vai encontrar yakisoba (macarrão com legumes), frango xadrez (frango em cubos com legumes e molho chinês), yakimeshi (arroz com pedainhos de carne e legumes), tempurá (fritura de massa de farinha com camarão, legumes ou verduras), takoyaki (bolinho com polvo ou camarão), guizá (pastelzinho de carne de porco e verduras), sushi, sashimi e espetinhos de camarão e lula.

O que comer no bairro da liberdade em São Paulo

Para a sobremesa, dorayaki (massa doce com creme), mandyu (bolinho doce de feijão) ou moti (bolinho doce de arroz).

Confira aqui o roteiro de 4 dias que fizemos em São Paulo.

Feirinha da Liberdade

Onde: Praça da Liberdade, São Paulo
Como chegar: de metrô, na estação Liberdade
Quanto: a visita é gratuita
Quando: sábados e domingos, das 9 às 18h

Para planejar o seu roteiro em São Paulo, leia os outros posts aqui. E para saber onde ficar, veja as opções de onde ficar em São Paulo. Os passeios, as atividades imperdíveis e os transfers você encontra aqui.

Posts relacionados

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

6 comentários em “A tradicional feirinha da Liberdade

    1. Rafael, obrigado pelo comentário!

      Quem sabe a gente não se encontra lá um dia desses…

      Abraço!

  1. Parabéns, pelo pela orientação aos mochileiro. E também por ser graduado em Turismo como eu. Gostei muito dessa matéria sobre a feirinha da Liberdade.

    1. João, muito obrigado pelo comentário, ficamos felizes.

      Parabéns a você por também ser um profissional do turismo, a profissão que realiza sonhos…

      Abraço!!!

Deixe seu comentário