Dia 84 – Puyuhuapi, um tempo para esperar o tempo melhorar

{Sexta, 17 de maio de 2019} Para nosso azar, hoje o dia amanheceu chuvoso. O Parque Nacional Queulat abre às 8h30, quem sabe o tempo melhora até o meio dia.

8h e nada da chuva passar. O João e a Carina foram até a guarita de entrada do parque para pedir uma tomada emprestada para esquentar a água do café. Ainda precisamos arrumar a campervan, desfazer a cama para poder tirar as coisas do banco da frente e poder dirigir.

Quando chegamos lá, eles disseram que guarda parque não deixou esquentar a água ali e fechou a janela da bilheteria do parque na cara deles. Sério?!

E o pior que isso nem nos espantou tanto, sabe por que? Desde que entramos no Chile estamos sentindo essa austeridade por parte dos chilenos. No início achamos que era uma ou outra pessoa, mas isso tem se estendido ao longo do caminho, como se eles não gostassem de turistas.

Mas enfim, não estamos aqui para fazer amigos, estamos aqui para nos divertir, conhecer lugares incríveis e aprender também. Se os amigos surgirem, ótimo. Senão, “no pasa nada”. Quem sabe mais ao norte as coisas/pessoas mudem.

Estávamos nos preparando para tomar um café gelado quando o guarda parque chamou para aquecer a água. Não sabemos o que o fez mudar de ideia. Provavelmente ele contou para outra pessoa que o repreendeu, ou a consciência pesou. Ainda há salvação!

Parecia outra pessoa, falou da previsão do tempo para os próximos dias e sobre as trilhas.

Tomamos café e esperamos até quase meio dia. Nesse meio tempo pensamos nas possibilidades, pois queremos muito visitar o Parque Queulat e ver o Vestiqueiro Colgante.

Queulat ou não Queulat, eis a questão

Uma opção é seguir viagem até Chaiten e voltar quando o tempo estiver melhor. São uns 270 km a mais para percorrer, o que vai dar uns $ 20,000 pesos chilenos (aprox. R$ 118,00) só de gasolina, mais o tempo dirigindo e sem garantia de tempo bom em Chaiten.

Outra opção é ir para Puyuhuapi, uma cidadezinha que tem aqui perto, uns 20 km, e ficar em um camping até segunda, quando a previsão é sol. Isso vai custar uns $ 18,000 (aprox. R$ 104,00) de camping, mais a comida.

Decidimos ficar em Puyuhuapi. Descansar um pouco, nos aquecer, comer comida quentinha e colocar os posts do blog em dia e editar mais alguns vídeos para o YouTube.

A Carina e o João decidiram seguir viagem. Nos vemos em breve pelas rutas da América do Sul.

Camping Adhonai e a mudança de humor em Puyuhuapi

Aqui no camping a família parece ser muito simpática, sempre prontos para ajudar. Acenderam o fogão a lenha para ficarmos na área com mesas, para trabalharmos.

Puyuhuapi

No mercadinho onde fomos comprar água foram gentis também. Oba, acho que já estamos entrando em uma ruta com pessoas mais simpáticas e hospitaleiras.

Tomamos um banho quentinho no camping. Quer dizer, o gás acabou no finzinho do banho. Falamos com os proprietários do camping e eles falaram que tinha acabado o gás, mas iriam trocar. Como demorou e já estava tarde e frio, o Douglas deixou para amanhã…

 

Pedimos onde tinha uma lavanderia e eles mesmos lavam aqui, sem cobrar nada. Levamos o saco enorme de roupas sujas e agradecemos o favor.

O almoço foi uma delícia! Arroz e strogonoff de mini linguicinha. Ficou gostoso demais com os champignons frescos.

A tarde aproveitamos a chuva e o calor do fogão a lenha para trabalhar um poquinho.

Aquecimento a lenha

O fogo do fogão a lenha ficava apagando e não sabíamos o que fazer. Devia ter prestado atenção na vó Cenaide quanto estávamos em Santo Ângelo.

Mandamos mensagem no grupo da família no whatsapp e no stories do instagram pedindo ajuda.

E logo a vó cenaide mandou um áudio com as instruções, passo a passo de como fazer e manter o fogo aceso. Salvou a gente do frio.

O dia escureceu e o dono do camping veio trazer as roupas lavadas. Disse para estendermos acima do fogão a lenha para secar. Logo pensei, hummm vai secar rapidinho.

Hora de fazer a janta. E agora, o que vamos fazer? O dia frio pede uma macarronada, né? Preparamos um capeleti de carne com molho de tomate.

A chuva continua, mas estamos torcendo para ela dar um tempo e nos deixar seguir viagem.

Hora de ir pra casinha dormir ao som da chuva batendo no teto.

Quer saber mais sobre essa viagem? Confira esse post aqui melevadeleve.com/viagem-de-carro-pela-america-do-sul

Números do dia:

Distância percorrida: 23 km
Tempo: 30 minutos dirigindo
Mercado: $ 2.750 pesos chilenos (aprox. R$ 16,00)

Contribua para essa viagem

Está gostando da nossa viagem de carro pela América do Sul? Então use nossos links para reservar as suas viagens. O valor não muda para você e a comissão que ganhamos é bem pequena, o preço de um cafezinho que você toma enquanto está lendo e se divertindo com o diário da viagem e as nossas dicas.

Hospedagem: Booking.com ou Airbnb (Airbnb com desconto de R$ 130,00 na primeira hospedagem e R$ 49,00 em uma experiência)
Seguro Viagem: Seguros Promo (com 5% de desconto)
Passagens Aéreas: Passagens Promo
Aluguel de carro: Rentcars
Transfers: Viator
Passeios: ViatorTiqetsTourOn e Get Your Guide
Chip de celular para internet móvel e telefone: My Sim Travel
Transferência online de dinheiro para o exterior: Transfer Wise

Agradecimentos aos nossos apoiadores dessa viagem:

Compartilhe
Julia Flores

Julia Flores

Formada em Turismo e Hotelaria, com pós-graduação em Marketing Estratégico e experiência com marketing de destinos turísticos. Amo viajar, não pelos carimbos no passaporte ou pelas selfies, mas pelo o que as viagens me proporcionam. Gosto de praticar esportes, mas também adoro ficar de preguiça no sofá em dias frios ou chuvosos.

2 comentários em “Dia 84 – Puyuhuapi, um tempo para esperar o tempo melhorar

    • Julia Flores
      14/06/2019 em 20:23
      Permalink

      lá tava sim. agora a gente tá em mendoza e pelo menos tá temperatura positiva hehehe

      Resposta

Deixe seu comentário