O Deserto do Atacama é um destino como poucos no mundo, e para aproveitar a sua viagem da melhor maneira possível é preciso saber de antemão algumas de suas características. Por isso escrevemos esse post com dicas que você precisa saber antes de ir para o Atacama.

Então continue lendo esse post, que vai te ajudar bastante, principalmente na hora de arrumar a mala para o Atacama. É um verdadeiro desafio.

Aqui você vai encontrar informações de como chegar, cuidados com a saúde, dinheiro e câmbio, melhor época para visitar, o que levar, ir de mala ou mochilão, quais e como fazer os passeios, onde ficar, onde comer, quantos dias ficar e mais.

Onde fica o Deserto do Atacama?

O deserto do Atacama fica no norte do Chile, e chega até a divisa com a Argentina e Bolívia. A cidade base para os passeios na região é San Pedro de Atacama, que fica a 1630 km a norte da capital Santiago, o que leva de carro uns dois dias de viagem.

Dicas que você precisa saber antes de ir para o Atacama

Para chegar no Atacama pegamos um voo de São Paulo para Santiago, que durou 4 horas e 30 minutos, dormimos uma noite em Santiago e na manhã seguinte pegamos outro voo, de Santiago para a cidade de Calama, que durou 2 horas.

No aeroporto de Calama pegamos um transfer até San Pedro de Atacama, que nos deixou na porta do hotel. Nesse trajeto levamos mais 1 hora e 30 minutos.

Em breve contaremos como ir do aeroporto de calama a San Pedro de Atacama.

Quais cuidados devo ter com a saúde no Atacama?

Os cuidados com a saúde tem a ver com o ar seco, a amplitude térmica, a altitude e a hidratação.

Como é o ar no Atacama?

O Atacama é o deserto mais árido do mundo, com umidade que fica boa parte do ano em apenas 7%. Então, a pele, os lábios, a garganta, os olhos e o nariz sofrem muito.

A dica é usar protetor labial constantemente, nós passávamos a cada uma ou duas horas. Lembre-se de umedecer as narinas com soro fisiológico. Nós levamos um chamado maresis (jato forte).

Para proteger a pele, não se esqueça de se besuntar de protetor solar durante o dia e de hidratante durante a noite. Use chapéu e boné, mesmo se parecer que o sol está fraco, pois o vento forte engana muito.

Um bom colírio também é indispensável. Se você usa lente de contato, considere fazer essa viagem de óculos, pois além do clima seco, a poeira está por toda parte.

Beba água, muita água, uns 3 litros por dia, para evitar a desidratação.

Veja aqui as opções de hotel no Atacama.

Qual é a temperatura no Atacama?

A amplitude térmica é enorme, essa é uma característica do deserto: noites frias e dias muito quentes. Por isso a bagagem deve ter desde gorro e cachecol até roupa de verão.

Só para você entender melhor, no passeio do Salar de Tara (em março), saímos as 6:30 da manhã com temperatura negativa (-3 graus) e ao meio dia a temperatura era de mais de 30 graus.

Por isso, não deixe que a falta de roupas apropriadas estrague a sua viagem.

Cuidados com a saúde no Atacama

Qual é a altitude no deserto do Atacama?

A altitude no Deserto do Atacama varia de 2300 a 5000 metros. Santiago está a mais ou menos 700 metros com relação ao nível do mar e depois de algumas horas de voo, chega-se a San Pedro de Atacama, que está a 2300 metros.

Então o corpo precisa se adaptar a nova condição de altitude. Tome alguns cuidados para que a altitude não comprometa o aproveitamento na sua viagem.

Tente não programar nenhum passeio no primeiro dia, pois o corpo precisa de um tempo para produzir mais glóbulos vermelhos e assim oxigenar melhor o seu corpo.

É importante caminhar bem devagar (a passos de lhama preguiçosa), por isso reserve esse dia para andar sem pressa pela rua Caracoles, que é o centro de San Pedro.

Beber bastante água ajuda nesse processo de aclimatação. Beba pelo menos 3 litros por dia, sempre em pequenos goles, mesmo quando não estiver com sede.

Como é a água no Atacama?

A primeira recomendação que recebemos logo que chegamos foi com relação a água. A dona da hospedagem nos sugeriu beber água da torneira, pois a água engarrafada de San Pedro tem gosto de plástico. Provavelmente por passar horas debaixo de sol na estrada, já que a água vem de longe, e depois no armazenamento na cidade.

Além disso, San Pedro tem limitações quanto à destinação do lixo reciclável e as garrafas de água são boa parte do problema.

Então ela nos recomendou beber água do filtro, ligado diretamente na torneira da cozinha, assim como os moradores fazem. Mas isso não é recomendado para nós turistas, pois a quantidade de minerais na água são mais altos do que estamos acostumados. Melhor evitar.

Difícil, né. Então nós optamos pela água da torneira e para garantir, levamos hidrosteril, um líquido que purifica a água em 15 minutos, matando as bactérias. Compramos uma garrafa de 5 litros no primeiro dia e nos outros dias fomos enchendo-a com água da torneira e tratando com o hidrosteril.

Precisa de seguro viagem para o Atacama?

Não é obrigatório, mas é super, ultra, hiper recomendado que você faça o seu. Atacama é uma viagem de aventura: você vai fazer caminhadas, vai estar em altitude, então melhor não arriscar.

É o tipo de coisa que a gente paga pra não usar. Sem falar que é caríssimo qualquer tratamento médico que você precisar fazer por lá.

Para escolher o seguro, nós sempre optamos por aquele que tem melhor cobertura, principalmente de regresso sanitário e traslado de corpo. Ninguém quer que isso aconteça, mas prevenir é melhor que remediar e pode acontecer. Mas a gente bate a madeira, né. Toc Toc Toc.

Nós pesquisamos as opções de seguro viagem no site da Seguros Promo, parceira do blog. Pelo link você tem 5% de desconto.

Qual é a melhor época para viajar ao Atacama? Como é o clima?

Aí vem aquela reposta que a gente não gosta muito, mas é verdadeira. Depende. Sim, depende de qual tipo de clima você gosta mais, se você quer ver a neve, muitos flamingos ou menos frio e calor. Em todas as épocas o Atacama é lindo.

No verão (dezembro a março) é alta temporada e nesse período, chamado de inverno altiplânico, costuma chover apesar de ser deserto. Como San Pedro é basicamente todo de ruas de terra e poucos hotéis tem restaurantes, você terá que caminhar pela cidade por ruas com barro para almoçar e jantar. Os passeios também ficam prejudicados, pois são poucos os que contam com estrada asfaltada.

O outono (março a junho), também é uma boa época. Visitamos em março e ainda estava bem quente, mas pelo menos as chuvas já tinham passado. De dia a temperatura ficava em média de 28 graus e a noite uns 10 graus.

Nos meses de inverno (junho a setembro), as temperaturas são muito baixas, o que faz alguns pontos turísticos ficarem fechados para visitação por causa da neve.

A primavera (setembro a dezembro) é quando as lagoas estão mais cheias de água. Uma grande quantidade de aves migram para lá nessa época, como os flamingos. E a vegetação fica mais verde e se vê até flores por lá. Dizem que é a melhor época para visitar o deserto do Atacama.

Quais documentos os brasileiros precisam para entrar no Chile?

Para entrar no Chile como turista, brasileiros não precisam de visto. Só precisam apresentar o passaporte, que deve ter validade até a data de retorno ao Brasil e ter uma página em branco, ou a carteira de identidade (RG) em bom estado de conservação, em que a foto permita que você seja identificado.

Não é exigido nenhum tipo de vacina para entrar no país, nem mesmo de febre amarela.

Pode ser solicitado comprovação se você tem como custear sua estada e a passagem de saída.

Confira se as informações estão atualizadas no site do consulado do chile, neste link http://www.portalconsular.itamaraty.gov.br/seu-destino/chile

Onde é melhor trocar dinheiro?

A moeda é o Peso Chileno e é melhor trocar dinheiro em Santiago, de Reais para Pesos Chilenos, pois a cotação é sempre melhor do que em San Pedro.

Se você já tiver dólares, vale a pena levar. Só se você já tiver. Não precisa trocar Reais para Dolar no Brasil e depois trocar Dolar para Pesos Chilenos, pois você vai perder dinheiro fazendo 2 conversões de moeda.

Onde trocar dinheiro no Atacama

Se você não tiver tempo para trocar em Santiago, já saia do Brasil com um pouco de Pesos Chilenos, o suficiente para os transfers e as primeiras refeições. Nem todos os restaurantes aceitam cartão de crédito e o pagamento em dólares não é prática usual.

Em breve escreveremos sobre quanto custa viajar pelo Atacama.

O que levar na mala para o Atacama?

Há poeira por todo lado, por isso, o Atacama não serve para desfilar moda estilo Glam.

Esqueça o sapato social e o salto alto, ternos, vestidos, saias, brilhos, paetês e as roupas brancas. Só usam isso por lá nos ensaios fotográficos, que a propósito, ficam lindos. Mas não é nada aconselhável.

Seja prático com relação às roupas e acessórios, é melhor vestir-se em camadas, para ir tirando as conforme o dia esquenta.

E não se esqueça que um chapéu de aba larga é indispensável. Você até pode usar boné, mas chapéu é melhor, para não ficar com as orelhas e pescoço queimados.

Atenção ao que levar na mala ao Atacama

Leve roupa de banho. Está em um deserto, mas tem termas e lagoas onde é possível entrar na água.

Em breve escreveremos sobre o que levar ao Atacama com mais detalhes, para você escolher a bagagem perfeita.

Ir ao Atacama de mala ou mochilão?

Eis a questão. Na verdade você pode levar qualquer uma delas, dependendo da forma como está viajando e onde ficará hospedado.

Vale a pena levar mala se o seu transfer, do aeroporto de Calama até San Pedro de Atacama, te deixar na porta do seu hotel. E se você vai ficar em um quarto individual.

Caso contrário, vá de mochilão que será muito mais prático. Até porque carregar as malas pelas ruas de terra será um pesadelo.

Chip de telefone e internet móvel

A conexão com a internet em Atacama até que é boa, considerando que estamos no deserto. Fica um pouco lenta, mas funciona. Agora, durante os passeios, tem lugares que não pega mesmo. Nem o celular dos guias com chip local, por isso a maioria usa radio nos passeios mais distantes.

As opções que descobrimos por lá são:

Você pode ativar seu roaming internacional. Tem operadora brasileira com plano de R$ 40,00 por dia. No nosso caso como foram 10 dias de Chile, custaria R$ 400,00 pra ficarmos conectados durante a viagem.

Outra opção é comprar um chip local quando chegar em Santiago, mas lembre que precisa homologar seu celular para isso e leva uns 4 dias úteis o processo. Se essa for a sua opção, faça isso pelo menos uma semana antes de embarcar. Você vai gastar uns R$ 100,00 para 10 dias.

Nós optamos pelo chip pré-pago da MySimTravel, o mesmo que usamos na Argentina e Canadá. O chip + 1 giga de internet (dado+voz + sms), e ainda continuamos usando o nosso número para o whatsapp, assim pudemos continuar recebendo todos os “bom dia” dos grupos. O pacote fica em torno de R$ 160,00. Usamos durante os 10 dias da viagem, em Atacama e em Santiago.

Faça os passeios no Atacama do seu jeito

Saiba que alguns passeios são muito longe de San Pedro, por caminhos nem sempre confortáveis. Se você estiver sozinho, o melhor é pegar um tour com outras pessoas e fazer amizades. Além de economizar um pouco.

Se quiser independência, pode alugar um carro e fazer tudo no seu tempo. Nesse caso, alugue em Calama, cidade do aeroporto mais próximo de San Pedro. Não esqueça de alugar com GPS e de ter bons mapas na mão, pois nem todos os caminhos são claros e bem definidos. Confira os valores e locadoras no site da rentcars.

Passeios no Atacama

Agora, se você estiver em um grupo de amigos, considere fazer tours particulares, assim os guias podem ser mais flexíveis e você aproveitará muito melhor cada passeio. Nós fizemos com a Araya Atacama e foi ótimo! Estávamos em 4 pessoas apenas. Nós e nossos amigos do Tá Na Minha Rota.  Foi a melhor coisa que fizemos, assim foi tudo no nosso tempo sem correria de cumprir horário do grupo.

Dicas sobre os passeios no Atacama

Já começamos dizendo que é difícil dizer quais são os melhores, pois cada um tem uma paisagem diferente, cada um tem sua história e suas peculiaridades. Todos os passeios que fizemos foram ótimos e não deixaríamos nenhum de fora, na verdade até acrescentaríamos.

Por isso não há resposta para a pergunta Quantos dias ficar no Atacama? Isso depende de sua disponibilidade de tempo, dinheiro e interesse por cada tour.

Nós escolhemos fazer Lagunas Escondidas, Valle de la Luna e Valle de la Muerte, Termas de Puritama, Laguna Cejar e Tebinquinche, Lagunas Altiplânicas e Salar de Tara.

Se tivéssemos mais dias no Atacama, faríamos também o Tour Astronômico, Geyser del Tatio, Caravana Ancestral, Salar de Atacama, Tour do Vinho e talvez escalar uma montanha ou vulcão. Mas para isso tudo precisaríamos de pelo menos uns 10 dias.

Uma dica é fazer na ordem crescente de altitude para que você esteja melhor adaptado quando fizer o passeio mais alto, o Salar de Tara. Foi isso que fizemos, exatamente nessa ordem acima.

Fizemos dois passeios por dia, manhã e tarde, nos dois primeiros dias no Atacama, mas sinceramente, não recomendamos. É muito cansativo. Lembre que vocês estará em altitude, e o corpo cansa mais rápido. O ideal é fazer apenas um passeio por dia.

Se você quer economizar, contrate seus passeios quando chegar no Atacama. Lá você pode andar pela rua Caracoles e comparar os preços, mas cuidado pra não cair em furada, pois o barato pode sair caro. Pode ser que seja em carro ruim e com guias péssimos.

Se você quer aproveitar os passeios, garantir que vai ter bons guias que falam português, com bons carros e boas lembranças, melhor contratar os passeios antes de embarcar para o Chile. Nós fizemos todos os passeios com a Araya Atacama e recomendamos.

Como escolher a hospedagem no Atacama?

Já falamos que em San Pedro as ruas são de terra, né? Então imagine ter que caminhar por elas e ‘comer poeira’ toda vez que passar um carro. Por isso a localização do hotel/hostel é muito importante. Dê preferência aos que estão até 300, 400 metros da rua Caracoles.

Todas as hospedagens têm arquitetura característica do Deserto do Atacama, rústica, com paredes em tons de terra e desenho similar. Por isso é bastante difícil escolher apenas levando em conta o visual. É muito importante ler as opiniões no booking.

Cuidado ao escolher o hotel/hostel

Você vai encontrar diárias das mais econômicas em hostel até quartos de luxo em hotéis boutique. Mas uma coisa é certa, mesmo nos mais simples, você vai ter a impressão que não vale o custo-benefício, pois a hospedagem em San Pedro é cara.

Lá o mais comum é ficar hospedado em hostal, uma espécie de pousada, geralmente pequena, diferente de hostel. Os hostals nem sempre têm quartos compartilhados e quando tem, oferecem mais opções de quartos privativos com banheiro individual. Geralmente têm cozinha compartilhada e não oferecem café da manhã incluído na diária.

É bom reservar com antecedência, pois o Atacama é um destino muito procurado e as melhores opções acabam esgotando rapidamente.

Confira aqui as opções de hospedagem em San Pedro de Atacama.

Restaurantes

Nós temos algumas restrições alimentares, nada grave, mas que requer mais cuidado. Por isso sempre temos que selecionar onde comemos e principalmente o que comemos. Por isso muitas vezes a conta fica um pouco mais alta.

Onde comer no Atacama

Agora se você não tem restrição nenhuma e topa tudo, tem opções bem baratas. São várias opções de restaurantes, principalmente na rua Caracoles e suas travessas.

Para ter uma ideia de preços de comida em San Pedro, uma empanada custa cerca de 4 mil pesos, um prato econômico ‘a lo pobre’ (lomo a lo pobre, pollo a lo pobre), tipo o prato feito do Brasil, custa em torno de 8 mil pesos, um hambúrguer custa uns 3 mil pesos.

Claro que varia dependendo do restaurante.  Nós vamos contar quais restaurantes provamos por lá em um outro post.

E você pode ainda fazer a sua própria comida na cozinha de onde ficar hospedado.

Outras informações básicas

País: Chile
Capital do Chile: Santiago
Idioma: Espanhol. Encontramos várias pessoas que falam ou entendem português.
Fuso horário: GMT-3
Distância entre cidades: 100km de Calama. 1630km de Santiago. 520km de Uyuni, Bolívia. 1554km de Cusco, Peru. 592km de Salta, Argentina.
Gorjetas: Costume de 10% em restaurantes, não obrigatório.
Moeda local: Peso Chileno
Tipo de tomada: tipo L (três pinos redondos alinhados)
Voltagem: 220V

E aí, gostou das dicas que você precisa saber antes de ir para o Atacama? Comente aqui embaixo…

Mais sobre o Atacama e o projeto De Leve na Rota no blog Tá Na Minha Rota. Siga também a tag #delevenarota no Instagram.

Para salvar no Pinterest 😉

Posts relacionados

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

2 comentários em “Dicas que você precisa saber antes de viajar para o Atacama

  1. Douglas e Julia me ajudem..quero ir ao canada estudar ingles em 2020 tenho 15 anos e quero ir sem saber nada de ingles estudo nesse tempo que estou no brasil ou ajunto mais dinheiro??

    1. Olá, Yasmin! Tudo bem? Uau, primeiro parabéns pelo seu objetivo. E o Canadá é sensacional, você vai amar o país.
      Já passamos por essa experiência de estudar fora também e para nós foi super importante ter uma noção de inglês. Por noção de inglês, me refiro a entender e conseguir formular frases, mesmo que as pronúncias e conjugações não estejam 100% corretas. Pois assim você vai desenvolver mais rápido o seu inglês no tempo em que estiver no Canadá. Isso quer dizer também economia de dinheiro.
      Se você puder bancar um curso de conversação, manda ver. Se a grana tá apertada, procura canais no YouTube, apps e cursos grátis, que possam te ajudar.
      Ou seja, estuda inglês sim. Você tem tempo pra desenrolar, ou enrolar 😛 , a língua. Sucesso pra você e foco no objetivo. Bjs

Deixe seu comentário