Dia 117 – Ruínas de Quilmes e estrada até Cafayate

{Quarta, 19 de junho de 2019} Hoje é o dia 117 da viagem. Conhecemos as interessantes Ruínas de Quilmes e pegamos a Ruta 40 até Cafayate.

Na noite anterior nós dormimos bem na estrada da Cidade Sagrada dos Quilmes e hoje acordamos com uma bela paisagem, que no escuro não fazíamos ideia de que estaria ali.

Entramos na Cidade Sagrada e fomos direto conhecer o Centro de Interpretación de la Ciudad Sagrada de los Quilmes, que conta a história desse povo e também compara os acontecimentos em uma linha do tempo da Argentina e do mundo.

Os Quilmes foram um povo indígena que alcançou um grande desenvolvimento social e econômico, chegando a ter 3 mil habitantes na área urbana e 10 mil nas redondezas. Isso lá no século XVII.

É obrigatório ter seguro viagem para viajar pra Argentina? Não é, mas já pensou se você precisa de atendimento médico lá? Deve ser caro demais! Você que é um viajante experiente não vai viajar sem seguro viagem, né. Veja aqui as opções de planos e seguradoras e com o nosso link, ganhe 5% de desconto.

As Ruínas de Quilmes

Depois seguimos até as ruínas da Cidade Sagrada e nos deparamos com cactos enormes entre resquícios das construções feitas de pedras.

Ruínas de Quilmes

Além da história super interessante, que contaremos em outro post, o lugar é imperdível por causa da paisagem de ruínas e cactos e também por causa da vista.

Lá do alto pudemos observar a imensidão de cactos que nos cercavam e a beleza do vale, escolhido a dedo pelos Quilmes para ajudar na proteção do povoado.

Os Quilmes resistiram bravamente às investidas dos colonizadores espanhóis e são reconhecidos por serem um dos povos que mais conseguiram se defender durante a colonização.

O legal da visita é que depois de serem praticamente dizimados pelos espanhóis, os descendentes hoje administram o Centro de Interpretación de la Ciudad Sagrada de los Quilmes e a renda ajuda a comunidade indígena.

Antes de sairmos para continuarmos a viagem, passamos pelas lojinhas de artesanatos. São muitas peças feitas de madeira de cactos, um souvenir perfeito, que une a cultura e a história local. Deu vontade de trazer vários, mas não cabem no carro.

Você pode ir de avião à Salta e explorar a região com carro alugado. Veja aqui um comparativo entre modelos de veículos e locadoras.

A vila dos Quilmes

Ruínas de Quilmes

Conversamos com os artesãos e valeu a pena saber um pouco mais sobre esses descendentes dos Quilmes.

Acabaram nos contando que o vilarejo deles fica ali perto e poderíamos passar por ali para conhecer, pois era um pequeno desvio.

Claro que fomos e encontramos um caminho diferente e muito bonito também cheio de cactos gigantes.

A estreita rua de areia foi uma aventura, pois não sabíamos quando nem o que encontraríamos pelo caminho.

Para nossa surpresa, encontramos um lugar bem receptivo.

Cafayate

Depois de ficarmos encantados com os Quilmes seguimos pela Ruta 40 em direção ao nosso destino de hoje, a cidade de Cafayate.

Chegamos até que rápido na cidade, pois fica apenas 53 km distância. Fomos direto para a concentração de atrações da cidade, a praça central.

Compramos algumas empanadas para o almoço e fomos para o posto de informações turísticas, onde pegamos um mapa.

Saímos para explorar a cidade, mas a maioria das coisas estavam fechadas. Claro, era hora da siesta. Ainda esquecíamos disso…

Decidimos dormir em um camping e acabamos escolhendo o Camping Fuerza y Luz. Não, não é um nome de um lugar alternativo, onde a força vem da luz ou alguma coisa do tipo.

É o nome da companhia de energia elétrica e a sede da associação tem um espaço para camping que mesmo não sendo sócio você pode utilizar pagando uma diária.

O camping era bonzinho. Tinha um bom espaço para estacionar, banheiros com chuveiros, internet só perto da administração, piscina, pontos de energia elétrica. Acho que é a melhor opção de camping de Cafayate.

Final da tarde voltamos para o centrinho para andar pela praça e jantar.

Se você não viaja de campervan, veja aqui onde ficar em Cafayate. 

La Casa de Las Empanadas

Achamos um lugar onde vende só empanadas, a La Casa de Las Empanadas. Nos disseram que eram as melhores empanadas da Argentina, então fomos conferir.

Pedimos para trazer uma empanadada de cada sabor da casa, 12 no total. Provamos uma por uma, meio a meio. E o sabor que mais gostamos foi …. de carne.

Sim, a tradicional empanada de carne. E sinceramente, não foram as melhores empanadas que provamos na cidade, mas estavam boas e o lugar é bacana.

A cidade a noite é tranquila e tudo acontece ao redor da praça. Mas estávamos um pouco cansados e voltamos para o camping para descansar dos nossos 1.212 km percorridos dos últimos dias.

Amanhã tem mais passeios por Cafayate.

Quer saber mais sobre essa viagem? Confira esse post aqui melevadeleve.com/viagem-de-carro-pela-america-do-sul

Números do dia:

Distância percorrida: 54 km
Alimentação: $ 505 pesos argentino (aprox. R$ 55,00)
Entradas: $ 200 pesos argentinos (aprox. R$ 20,00)
Camping: $ 300 pesos argentinos (aprox. R$ 30,00)
Souvenir: $ 100 pesos argentinos (aprox. R$ 10,00)

Programe a sua viagem

Está gostando da nossa viagem de carro pela América do Sul? Então use nossos links para reservar as suas viagens. O valor não muda para você e a comissão que ganhamos é bem pequena, o preço de um cafezinho que você toma enquanto está lendo e se divertindo com o diário da viagem e as nossas dicas.

Hospedagem: Booking.com ou Airbnb (Airbnb com desconto de R$ 130,00 na primeira hospedagem e R$ 49,00 em uma experiência)
Seguro Viagem: Seguros Promo (com 5% de desconto)
Passagens Aéreas: Passagens Promo
Aluguel de carro: Rentcars
Transfers: Viator
Passeios: ViatorTiqetsTourOn e Get Your Guide

Agradecimentos aos nossos apoiadores dessa viagem:

  

Compartilhe

Veja mais sobre o assunto navegando pela categoria

Julia Flores

Julia Flores

Formada em Turismo e Hotelaria, com pós-graduação em Marketing Estratégico e experiência com marketing de destinos turísticos. Amo viajar, não pelos carimbos no passaporte ou pelas selfies, mas pelo o que as viagens me proporcionam. Gosto de praticar esportes, mas também adoro ficar de preguiça no sofá em dias frios ou chuvosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *