O post mais completo sobre seguro viagem

Um país bom para o turismo primeiro precisa ser bom para se viver

O blog é sobre viagens e turismo, mas com as atuais manifestações do Brasil, não seria coerente deixar de usar esse meio de comunicação para falar a respeito.

Não vou falar dos protestos com enfoque de sociologia, história ou psicologia. Não entendo o suficiente disso e há muita coisa muito boa já escrita por quem entende.

Por isso vou tentar relacionar com o tema principal do blog.

Protesto no Rio de Janeiro | Foto: Pedro Serra (Blog Sem Destino)

Lembro das primeiras aulas do curso de Turismo e Hotelaria, em 2001, quando a professora Ana Tereza Tessari Vicente sabiamente disse “Um país bom para o turismo primeiro precisa ser bom para se viver”.

Perfeito! Não só o país, mas também o estado, a cidade, a vila, porque não basta natureza privilegiada para ser um destino turístico perfeito.

E desde então, sempre que penso no desenvolvimento do turismo, penso no desenvolvimento do Brasil.

A mesma estrutura que o turista usa, é usada pela população local (mesmo que indiretamente): meios de transporte e vias públicas, saneamento básico, hospedagem, alimentação, lazer, entretenimento, segurança pública, educação e a saúde pública.

Os governos federal, estaduais e alguns municipais buscam no turismo a solução para os problemas econômicos e para o crescimento, mas não se atentam ao princípio mais importante.

Protesto em São Paulo | Foto: Rafael Carvalho (Blog Esse Mundo é Nosso)

Um país bom para o turismo primeiro precisa ser bom para se viver

De nada adianta inverter a ordem dos fatores. Se a base vai mal, não tem como o turismo ir bem.

E não vai bem mesmo, basta ver a decepcionante quantidade de turistas estrangeiros que vêm ao Brasil, e a crescente quantidade de brasileiros que viajam ao exterior.

O potencial turístico do Brasil não é alcançado por falta de investimento nas condições de vida da população, por causa de desvios de verba e do ‘Custo Brasil’, que eleva o preço de tudo, mas não eleva a qualidade de nada.

Vai ter Copa sim, e Olimpíadas também

Aí entram a Copa das Confederações, a Copa do Mundo, as Olimpíadas.

Como profissional do turismo, não tenho absolutamente nada contra o grandes eventos. Ao contrário, quero mesmo é que eles aconteçam no Brasil, e quero que São Paulo seja escolhida para sediar a Expo 2020.

Esses grandes eventos (e milhares de outros menores) colocaram o Brasil em 7ª lugar no ranking da ICCA (International Congress & Convention Association). Isso atrai mais eventos, mais investimentos em estrutura turística, movimenta muito a economia do país e ajuda a gerar empregos diretos e indiretos.

Por isso, não seja contra os eventos apenas por ser contra. Sou a favor da Copa, mas não da corrupção. É possível separar as coisas.

Protesto em São Paulo | Foto: Luciana Betenson (Blog Rosmarino e Outros Temperos)

Agora, como cidadão, eu fico indignado assim como você, com o desperdício de dinheiro público em obras superfaturadas e desvios obscuros.

Assim como você, fico indignado em saber que 12 mega estádios foram (ou estão sendo) construídos antes de investir em hospitais, escolas públicas, creches, saneamento básico, segurança pública, mobilidade urbana.

Construídos antes de melhorar os salários e as condições de vida e de trabalho do povo.

Protesto em São Paulo | Foto: Marcela Pacca (Blog Segredos de Viagem)

Assim como você, não me importo com os tributos, desde que sejam usados para o desenvolvimento do país, e não para encher os bolsos da corja de corruptos.

Assim como você, penso que o governo investe apenas em pão e circo para diminuir a insatisfação popular contra os governantes, como na antiga Roma. Ou seja, comida (vide as trocentas bolsas-não-sei-o-quê) e distração (Copa do Mundo, paixão do brasileiros).

Mas vimos que o pão e circo não vai dar certo, não mais. O povo acordou, o gigante acordou.

Quem ganha o pão (bolsas de todo tipo) não são as mesmas pessoas que podem pagar pelo circo (exorbitantes ingressos dos eventos).

Aí a lógica do pão e circo não surte efeito e a presidente é vaiada no estádio.

Sou contra o boicote à Copa do Mundo. Quero sim assistir. E sei que posso ser criticado por isso.

Sou a favor da Copa do Mundo porque, como profissional do turismo, sei do potencial de desenvolvimento econômico que um grande evento pode trazer ao país. Isso claro, se o potencial não for boicotado pelo poder público corrupto.

Eu sei que de nada adiante se gabar de ser uma das maiores economias do mundo, de nada adianta passar a imagem de país bola da vez por causa dos grandes eventos, de nada adianta todo o destaque internacional do Brasil, se a base do país, o que realmente importa, não for boa para o povo.

Nada disso adianta se nossas moradias, nosso saneamento básico, nossos meios de transporte e vias públicas, nossa segurança, nossa educação, nossa saúde, nossos salários e nossas condições de vida e trabalho não forem satisfatórios.

Quando eu digo ‘nossa’, não é a minha e da minha família, quando eu digo ‘nossa’ é de todo o povo brasileiro.

Porque por mais que a minha e a sua situação não seja das piores (porque de uma forma ou de outra somos ‘privilegiados’ por ter um teto decente e um emprego), o nosso país está em uma péssima situação.

Mesmo se você tem condições de viajar algumas vezes por ano sem controlar o cartão de crédito, você está no meio disso tudo.

Se você tem que pagar R$ 50,00 num táxi pra chegar ou sair do aeroporto, é porque o transporte público para a população não é eficiente.

Se você fica com medo de tirar uma foto do ponto turístico porque podem roubar sua câmera é porque faltam empregos e segurança pública no destino turístico.

Se o avião está caro, é porque o “Custo Brasil” está embutido no preço.

Se o aeroporto está em péssimas condições, é porque o que deveria ser investido foi desviado.

Se o hotel custa o dobro do que no exterior e oferece a metade da qualidade, é porque a tributação é enorme.

Viu, a situação do país reflete nas suas férias também.

Protesto em Brasília | Foto: Cristiane Marques (Blog Dentro do Mochilão)

E é por isso que eu protesto junto com milhões de brasileiros, sem violência, sem vandalismo, contra tudo isso, por mais transparência e pelo fim da impunidade.

Vamos protestar porque o país só será bom para você (e para viajar) quando for bom para todos os brasileiros!!!

[Obrigado aos amigos que cederam as imagens]

_____

Outros blogueiros de viagem que estão falando sobre isso:

Mauro, do blog De Mochila e Bota
Cristiane, do blog Dentro do Mochilão
Rafael, do blog Esse Mundo é Nosso
André, do blog Meu Destino
Lucila, do blog Mochila Cult (atualmente offline)
João, do blog Pra Ver em Londres
Fernanda, do blog Preciso Viajar
Jr Caimi, do blog Tip Trip
Patrícia, do blog Turomaquia
Guilherme, do blog Viajando com Eles
 
Compartilhe
O post mais completo sobre seguro viagem
Douglas Sawaki

Douglas Sawaki

Formado em Turismo e Hotelaria, com experiência em vendas e marketing na área do Turismo. Paulista que aprendeu a curtir São Paulo depois que deixou de ser um cara estressado. Meio sedentário, meio esportista, se é que você me entende.

4 comentários em “Um país bom para o turismo primeiro precisa ser bom para se viver

Deixe seu comentário