Estávamos almoçando em Siem Reap (Camboja) e vimos do outro lado da rua um vendedor de livros.

Depois do almoço fomos conhecê-lo e ver se havia algum livro interessante, foi quando reparamos os braços dele e vimos a placa na sua barraquinha dizendo:

Life after Cambodian: Being disabled this is not easy. Please support my first steps towards a normal life. Thank You

Em outras palavras:

Vida após o Khmer Vermelho: Não é fácil ser um mutilado. Por favor, apoiem os meus primeiros passos para uma vida normal. Obrigado.

Veja aqui onde se hospedar em Siem Reap ou reserve pelo Airbnb e ganhe crédito de R$100,00.

Curiosidades sobre o Camboja

Khmer Vermelho

O vendedor poderia ter sido uma das mais de 2 milhões de vítimas do genocídio causado pelo Khmer Vermelho.

O regime ditatorial liderado por Pol Pot no Camboja entre os anos de 1975 e 1979 foi extremamente cruel. A sorte é que a família deste vendedor de livros não estava entre os alvos do regime político, que pretendia exterminar a elite intelectual e os formadores de opinião do país.

Mesmo tendo escapado da execução, ele não escapou dos resquícios da guerra civil.

Durante a guerra, milhões de minas terrestres foram instaladas na área rural do Camboja e na área fronteiriça com o Vietnã e Laos.

Foi uma dessas minas que o fez perder as duas mãos.

Habilidade impressionante

Escolhemos um livro sobre o Khmer Vermelho e quando fomos pegar da prateleira, o vendedor disse ‘deixa que eu pego’.

Rapidamente ele pegou e nos entregou. Folheamos e decidimos comprar.

Ele habilidosamente retirou uma sacola plástica, abriu, pegou o livro e guardou na sacola.

Ficamos impressionados com a maneira como ele conseguiu fazer tudo tão rápido sem as mãos.

Ao ir embora desejamos a ele boa sorte na vida e saímos pensando que muitas vezes é preciso superação para alcançar os objetivos.

Para planejar o seu roteiro no Camboja, leia os outros posts aqui e para saber onde ficar, veja as opções de onde se hospedar em Siem Reap. Os passeios, as atividades imperdíveis em Siem Reap e os transfers você encontra aqui.

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

3 comentários em “História da foto – Herança do Khmer Vermelho

Deixe seu comentário