O post mais completo sobre seguro viagem

Inserção do segmento mochileiro no Plano Aquarela do Instituto Brasileiro de Turismo – EMBRATUR

Eu e a Jú realizamos o estágio de conclusão de curso de Turismo e Hotelaria no Instituto Brasileiro de Turismo – EMBRATUR, órgão responsável pela promoção do Brasil no exterior.

Ela fez o estágio na Diretoria de Marketing e no TCC analisou os resultados do ‘Programa de Press Trips’ de jornalistas estrangeiros no Brasil. E eu fiz o estágio na Diretoria de Mercados Internacionais.

Realizar o estágio na Diretoria de Mercados Internacionais me remeteu ao mercado que vivenciamos como praticantes e que nos interessamos profissionalmente, o turismo mochileiro, e dessa forma, o tema de Trabalho de Conclusão de Curso foi naturalmente escolhido.

Aqui no post não há como publicar todo o TCC, por isso publicaremos apenas o resumo, para que possa-se ter uma ideia da análise que foi feita.

Nos posts futuros iremos abordar alguns resultados obtidos nas pesquisas feitas para o TCC.

“Inserção do segmento mochileiro no Plano Aquarela do Instituto Brasileiro de Turismo – EMBRATUR”

Inserção do segmento mochileiro no turismo brasileiro

O Plano Aquarela do Instituto Brasileiro de Turismo – EMBRATUR é o documento oficial que guia as ações de promoção do Brasil no exterior. Estabelece países prioritários (mercados) e segmentos com potencial de aumentar a entrada de divisas através do gasto diário, tempo de permanência ou volume de visitantes.

O segmento mochileiro, mesmo sendo destaque no mundo, não foi escolhido como segmento de interesse, porém o Ministério do Turismo e o EMBRATUR não possuem um documento referencial detalhado sobre o segmento para embasar as decisões. Portanto, o objetivo geral foi analisar a importância da inserção do segmento mochileiro no Plano Aquarela.

Utilizou-se de métodos de pesquisa exploratória, bibliográfica, documental e empírica.

Após realizado o estudo sobre o segmento em questão comparou-se com o Plano Aquarela. O resultado foi que o “país mochileiro” (fictício, criado para fins de comparação) seria o 21º ou o 12º (em duas formas de comparação) do ranking de países maiores emissores de turistas ao Brasil.

O gasto total do “país mochileiro” é o dobro da Itália, 1º lugar no ranking oficial do EMBRATUR. Em comparação com os segmentos priorizados pelo Plano Aquarela, o segmento mochileiro tem gasto total por viagem três vezes maior do que o segmento de Ecoturismo e de Sol e Praia, 150% maior do que o segmento de Intercâmbio e três vezes maior do que os segmentos de Negócios, Feiras e Congressos.

O mercado potencial mundial é de 51,9 milhões de mochileiros e o potencial de faturamento é de US$150,5 bilhões por ano, maior do que todos os outros segmentos considerados prioritários pelo Plano Aquarela.

Por isso, recomenda-se ao EMBRATUR uma análise aprofundada, visando à inserção do segmento mochileiro no Plano Aquarela.

_____

Ao realizar as pesquisas para o TCC, percebi que há certa aversão pelo segmento mochileiro por parte de algumas pessoas dos órgãos oficiais, por isso acredito que o trabalho para consolidar o Brasil como destino backpacker é longo e difícil. Mas vamos lá…

Compartilhe
O post mais completo sobre seguro viagem
Douglas e Julia

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

3 comentários em “Inserção do segmento mochileiro no Plano Aquarela do Instituto Brasileiro de Turismo – EMBRATUR

  • Avatar
    08/05/2013 em 11:51
    Permalink

    Legal e importante o estudo. Bom conhecer colegas blogueiros e turismólogos como eu. Abraços!

    Resposta
    • Douglas e Júlia Sawaki
      08/05/2013 em 15:56
      Permalink

      Thaís, obrigado pelo comentário!! É legal mesmo! Tem mais blogueiros turismólogos por aí…

      Resposta
  • Avatar
    28/05/2013 em 09:22
    Permalink

    parabéns pela iniciativa! é de profissionais atualizados como vocês que o turismo brasileiro precisa. os dinossauros do turismo só continuam ativos porque faltam jovens de visão

    Resposta

Deixe seu comentário