O mochilão na Ásia está quase completando dois meses e o roteiro de viagem na Tailândia agora chega em Chiang Mai, cidade que fica bem ao norte do país e tem uma cultura bem diferente.

O ônibus chegou em Chiang Mai às 6 da manhã, logo em seguida pegamos um minibus (a tal caminhonete adaptada) e fomos até o Bow Chiang Mai House, que a gente tinha escolhido pelo guia.

O hotel é bonito, pena que o quarto tem cheiro de mofo.

Veja aqui onde ficar em Chiang Mai ou reserve pelo Airbnb e ganhe crédito de R$100,00.

Alley 9 Guest House

Ainda bem que na mesma rua tem vários hotéis, então escolhemos o Alley 9 Guest House, que está dentro do orçamento e tem um quarto “dormível”, chuveiro quente, ventilador e A/C, tudo por 5 dólares cada.

Dormimos até o meio dia, pois a viagem de Ayuthaya para cá foi cansativa.

Almoçamos burrito num restaurante mexicano, só para variar um pouco. HUUUUUMM estava bom demais, apimentado pra dedéu, mas muuuuito bom!!!

Conhecendo Chiang Mai de bicicleta

Alugamos bicicletas e saímos para conhecer a cidade. A mulher que aluga as bicicletas pediu um depósito de 2000 baht ou o passaporte como garantia.

Como o passaporte brasileiro é um dos mais valiosos no mercado negro, resolvemos deixar os 2000 baht, pois já ouvimos histórias de pessoas que tiveram páginas em branco do passaporte roubadas. Vai saber né…

Viaje tranquilo para a Tailândia com seguro viagem internacional, ganhando 5% de desconto.

Wat Phra Singh

Pedalamos até o Wat Phra Singh, um dos principais templos da cidade. Tiramos os calçados para entrar como sempre e para nossa surpresa, quando olhamos para dentro, só tinha jovens monges rezando.

Perguntamos para um senhor que estava guardando a entrada se a gente podia filmar e fotografar a reza dos monges. Dada a permissão, ficamos lá mais de meia hora…

Olha só a placa que tem lá. Se o pessoal tivesse um pouco de noção, não precisaria né?

Fomos parar no hospital

Depois, fomos parar no hospital!!! Calma, calma, estava tudo bem. Só fomos comprar remédios para a prevenção da malária.

Passamos pelo doutor, pois é preciso receita médica. Foi bem tranquilo, achamos que o nosso inglês mais ou menos seria uma barreira com relação à consulta médica, mas não, entendemos tudo certinho…

O médico custou 100 Baht, a tradutora custou mais 100 e o remédio para 60 dias também custou 100, para cada um. Achamos que o médico mais os remédios seriam uma facada, mas foi baratinho.

Wat Chedi Luang

Na volta passamos no Wat Chedi Luang, o principal templo da cidade. As ruínas do templo são impressionantes!!!!

De novo, chegamos na hora certa. Às 18h os noviços se reuniram para rezar ao lado das ruínas! Pedimos permissão para fotografar e filmar e deixaram sem problemas.

Nos posicionamos quase de frente para eles, mas logo trocamos de lugar pois percebemos que estávamos tirando a concentração deles. Uns turistas sem noção estavam fazendo barulho e tiravam fotos com flash. Vê se pode…

Um senhor que estava rezando junto olhou feio para eles e logo eles saíram.

Night Bazaar

Depois pedalamos até o Night Bazaar, onde compramos 3 livros, um sobre as minorias étnicas, um sobre a cultura da Tailândia e, o principal, de culinária thai! HUUUUMMMM

Já temos o livro, agora quero ver a Jú cozinhar…

O bazar noturno tem várias lojinhas, mas todos voltadas para os turistas, então, os preços são daquele jeito. Dei uma oferta para uma bermuda e a vendedora falou que com aquele valor, só se fosse bermuda usada. É isso que acontece quando muitos turistas aceitam pagar um preço inflacionado…

Para planejar o seu roteiro na Tailândia, leia os outros posts aqui. E para saber onde ficar, veja onde se hospedar em Chiang Mai. Na cidade tem muita coisa para ver e fazer, veja as opções aqui.

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

6 comentários em “Dia 57 – Primeiras impressões de Chiang Mai

  1. Ju e Douglas, este livro de culinaria vai ser útil,vamos fazer alguns pratos rsrsrsrssrsrbjsssssssss

  2. ei pessoal, culinária tailandesa é facil! é só fazer qualquer coisa e tacar pimenta!!! muita pimenta,
    ai pronto, vira um tipico prato tailandes!! hahahahaabraço…

  3. “Depois pedalamos ate o Night Bazaar.Compramos 3 livros, um sobre as minorias etnicas,
    um sobre a cultura da Tailandia e, o principal, de culinaria thai!!!!HUUUUMMMMJa temos
    o livro, agora quero ver a Ju cozinhar…”hauahuauaha a Ju se ferrou!!!!!!!
    Dete

Deixe seu comentário