Dia 23 – Voltando das Ilhas Gili para Bali

Acabou o nosso roteiro de viagem em Gili Meno e é hora de voltar a Bali. Na verdade, não fizemos o roteiro todo, pois fiquei doente. Mas pode ter certeza que as Ilhas Gili são um ponto imperdível da Indonésia.

Acordamos cedo para fazer o check-out do Biru Meno, a nossa pousada na ilha, e pegar o barquinho até Bangsal, em Lombok.

De barco de Gili Meno a Lombok (Bangsal)

O escritório do barco público é uma escrivaninha só que fica na frente de uma árvore e a tabela de preço fica pendurada nessa árvore. Simples, até demais… Isso é que nos encantou em Gili Meno, a simplicidade.

Gede e Jasmina pegaram o mesmo barquinho e nós fomos conversando até Lombok.

Depois, fomos a pé até o local de onde sai a van em direção ao porto de Lembar. Demoramos uns 20 minutos nessa caminhada. Poderíamos ir de charrete, mas pagar por qualquer transporte ali é aceitar o esquema que eles criaram…

Chegamos às 9:20 no local de saída do micro-ônibus, mas ele só sairia às 10:30. Esse tempo de espera é de propósito para dar tempo de comer algo lá. O pessoal chega com fome lá porque os caras da empresa dizem que é para estar as 7:00 no local de embarque. Daí o pessoal sai correndo do hotel sem tomar café porque ele começa a ser servido as 7:00. Sorte que a Jasmina falou que dava tempo sim de tomar o café e que o barco só saia às 8:00.

Pegamos o mesmo ônibus da ida: Velho, caindo aos pedaços, barulhento e apertado. O motorista era a cara do Figueirinha do programa A Diarista.

Veja aqui onde se hospedar em Gili Trawangan ou reserve pelo Airbnb e ganhe crédito de R$100,00.

Tinha um cara no ônibus querendo se passar por brasileiro, mas estava na cara que não era. Ele ficou conversando com o ajudante do motorista como se fosse brazuca. Falou de futebol, de carnaval, etc. Não sei como, mas a gente consegue saber de longe quem é brasileiro e quem não é.

Ele parecia mais com um argentino. Afinal, que brasileiro estaria de férias na Indonésia vestindo calça jeans?!? Logo depois descobrimos que ele era polonês.

Ferry Boat de Lombok (Lembar) a Bali (Padangbai)

No porto de Lembar, os vendedores ficam oferecendo produtos o tempo todo. O tempo todo mesmo. Sai um, chega outro, sai esse, vem outro diferente, depois voltam de novo oferecendo tudo igual.

Tem frutas, bolachas, Nasi Goreng, chocolate, água, refri, salgadinho, canga, óculos de sol, etc.

Entramos na fila do embarque em primeirão. Um menino curioso ficou olhando para gente e para filmadora. Ele olhava e dava risada.

As roupas dele estavam rasgadas e a Jú queria dar uma camiseta para ele, mas estava no fundão da mochila e lá nem tinha como abrir para pegar. A imagem do menino vai ficar na memória.

A partir de hoje as roupas escrito Brasil que trouxemos para presentear alguns vão ficar num local mais fácil.

As crianças sobem correndo no ferry boat enquanto ele está atracando no porto e logo recolhem as garrafas PET e latas de refri.

Embarcamos e arrumamos um lugar legal na sombra. Até o barco sair os mesmos vendedores de antes ficam circulando lá dentro. Eles dizem que a viagem é longa, que você vai ficar com fome, que não tem onde comprar nada, etc. etc. E passam várias vezes.

Compramos um chips de mandioca caseiro por mil rupias (R$0,20)… Delicioso! A gente só não comprou um monte porque estávamos desconfiados da qualidade e da higiene. Mas deveríamos ter comprado mais para a viagem toda.

Antes de chegar em Bali vimos o sol se por, maravilhoso, lindo demais!!!! A gente em alto mar e Bali ali na frente escurecendo aos poucos, o céu mudando de azul claro para tons alaranjados deixando as nuvens rosadas e depois, devagarinho o sol se escondeu atrás das montanhas de Bali.

De Padangbai a Kuta

Depois um micro-ônibus levou até Kuta, mas andamos um monte a pé para o hotel. Quando a gente comprou o bilhete o cara falou que levava até o hotel, mas levou só até o estacionamento da empresa. Reclamamos, mas nem adiantou. Também nem insistimos para não estressar mais ainda. Voltamos para o mesmo hotel de antes, o Bali Dwipa.

Nesse dia fiquei bom de saúde de novo, sem febre, sem dor de cabeça e com a barriga boa. Tá louco, só depois de sair do paraíso…

Para planejar a sua viagem a Gili Meno, veja aqui as opções de hospedagem da ilha. E também tem esse post aqui que ensina certinho como chegar as ilhas Gili de ferry e de speed boat, além de como ir de uma ilha a outra. Para planejar a sua viagem em Bali, leia os outros posts da Indonésia aqui. Os passeios imperdíveis na ilha e os transfers você encontra aqui.

Veja mais sobre o assunto navegando pela categoria

Douglas e Julia

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

3 comentários em “Dia 23 – Voltando das Ilhas Gili para Bali

  • Avatar
    09/08/2007 em 14:06
    Permalink

    Oi,o que vcs estão vivendo e sentindo ai não tem filmagem nem fotos que
    registre isso…isso só vai ficar na mente e no coração de vcs.
    Abraçosssssss

    Resposta
  • Avatar
    05/10/2015 em 11:13
    Permalink

    Adorei o seu post, eu vou em dezembro pra Indonésia fazer trabalho voluntário na ilha de Sumatra, depois vou passar uma semana em Bali e nas Gili. Os barcos saem apenas de manhã? (indo de Padang pra Gili Trawangan). Ou tem barcos no final da tarde também?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *