O segundo dia do Mochilão na Ásia começou de uma forma que nenhum turista gosta, ficamos perdidos na cidade de Singapura.

Acordamos cedinho, às 6 da manhã por causa do barulho dos carros na frente do albergue Cozy Corner, o nosso hostel na cidade.

Ainda estávamos moídos por causa do peso das mochilas. A mochila da Jú pesa 12 kilos e a minha pesa 15. Agora parece pouco, mas vamos ver como vai ficar no decorrer da viagem. Espero que fiquemos experts em viajar leve.

Veja aqui onde se hospedar em Singapura ou reserve pelo Airbnb e ganhe crédito de R$100,00.

No Cozy Corner

Arrumamos a bagunça (sim, conseguimos bagunçar nos poucos minutos em que ficamos acordados) e descemos para o café da manhã.

O café da manhã estava incluído na diária e tinha a enorme variedade de: café ou chá, mais pão fatiado com margarina e geléia. Ahhh, tinha a opção de torrar o pão… Melhor do que nada né?

Abri a geladeira coletiva e o povo já fez cara feia, olhando o que nós íamos pegar. Cada um pode colocar suas compras lá e acho que pensaram que a gente ia afanar algo. Não né gente, até parece, vamos ficar mesmo com o café da manhã incluído na diária 🙂

Depois, cada um tem que lavar a própria louça bem bonitinho.

No hotel a internet é de graça, mas dos 4 pc`s só um estava funcionando…

Perdidos na cidade de Singapura

Chegou a hora de colocar em prática o nosso roteiro de viagem de Singapura. E também de colocar a prova os pés que a natureza nos deu.

Fomos a pé até o Fort Canning Park para conhecer o Battle Box, um quartel general subterrâneo usado pelos alemães e japoneses na Segunda Guerra Mundial.

Chegamos a ir até lá, mas decidimos não entrar nesse dia, pois depois resolvemos voltar ao aeroporto para fazer o cartão de desconto especial para quem faz stop over em Singapura, que descobrimos existir só quando já estávamos lá no museu.

Depois de andar muito até a estação e mais meia hora de trem, chegamos no aeroporto e descobrimos que não precisava fazer cartão. Era só mostrar o voucher do voo… 🙁 Bom, perdemos viagem…

Almoçamos lá no aeroporto mesmo: 2 cheeseburgers para mim e um happy meal para Jú. Ela não ganhou o brinde, acho que a mulher do caixa pensou que ela não ia querer…

Asian Civilization Museum

Do aeroporto de Singapura, que a propósito é um dos melhores do mundo, voltamos de metrô ao centro e fomos ao Asian Civilization Museum.

Lá tem uma exposição de arte de vários países do continente asiático que de alguma forma participaram da história de Singapura.

Esse lugar é um ponto obrigatório no roteiro de Singapura, para aprender um pouco mais sobre a história e cultura do países vizinhos e colonizadores.

É um museu surpreendente, não tem poeira 🙂 Além disso é muito interativo e interessante.

Da janela do museu dá pra ver o Singapore River, que foi no passado e continua sendo de vital importância para a história do país.

Caminhando pela cidade

Após o museu, andamos pelo calçadão na beira do rio. Lá existem muitos restaurantes com mesas na calçada e os garçons ficavam puxando a gente para sentar e comer. Até podia ser, mas estava acima do nosso orçamento, eram restaurantes turísticos demais. Então a solução foi a pizza no Funan Digital Life Mall.

Depois do jantar já havia anoitecido e fomos até o Merlion, o símbolo da cidade, outro ponto turístico imperdível da cidade de Singapura.

O Merlion é uma estátua de um animal meio leão e meio peixe. A iluminação do Merlion e a água jorrando da sua boca deram boas fotos noturnas. A Jú ficou mais de uma hora fotografando lá em meio a curiosos que ficavam nos observando.

Depois voltamos a pé para o hostel e no caminho paramos para fotografar diversos prédios coloniais.

Um deles foi hotel Raffles, que era o prédio administrativo do país e leva o nome do fundador da cidade. Tem arquitetura colonial e as luzes em sua fachada branca o deixam muito belo. É de ficar admirando boquiaberto.

Cidade de Singapura

Chegamos no hostel cansados demais, com as pernas doendo, tomamos um banho, organizamos o roteiro do outro dia e dormimos igual criança…

Para planejar a sua viagem a cidade de Singapura, leia os outros posts aqui. E para saber onde ficar na cidade, veja as opções de hospedagem de Singapura. Os passeios e as atividades imperdíveis na cidade você encontra aqui.

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

6 comentários em “Dia 2 – Perdidos na cidade de Singapura

  1. Ameeeeei vcs me adicionarem nessa aventura deliciosa, muiiiito obrigada pelo presente.
    Vou acompanha-los passo a passo… nesse momento estou aqui imaginando como vc
    devem estar se sentindo nessa aventura maravilhosa. Que todos os sonhos se realizem
    e essa largada no mundo possa ampliar suas mentes e corações. Beijos

  2. Fico feliz em ver que vcs têm coragem para tanto…que lição de vida… que banho
    de cultura…que bom ultrapassar os pequenos limites e nunca desanimar… quando se
    tem objetivos é fácil lutar!!!bjsssssss

  3. Esta bagagem de conhecimento e cultura que vcs estão adquirindo é maravilhoso,vcs
    devem estar vibrando e eu mais ainda por vcs…um abração….

  4. Oi RosiQue bom que vc vai nos acompanhar!!!Estamos nos sentindo livres e percebendo
    que nao e impossivel conhecer o mundo, mesmo com pouco dinheiro…Nao sabemos se
    somos nos que estamos crescendo ou se e o mundo que esta diminuindo…Tudo esta
    mudando!!!!Bjoooooooooooooooo

  5. E isso mesmo, mae.Nos nos concentramos por muitos anos ate conseguirmos iniciar a
    viagem…vcs sabem disso ne.Tudo e possivel se a gente corre atras!!!
    Bjoooooooo

  6. oi paiEra isso mesmo que a gente queria. Conhecer a cultura dos lugares. Nao so tirar
    fotos nos atrativos conhecidos…Respirar o lugar e aprender sempre.BJOOOOOOO

Deixe seu comentário