Dia 120 – Como é o trem de Jaisalmer à Delhi – Parte 2

Hoje vamos continuar contando como é o trem de Jaisalmer à Delhi, na Índia.

A viagem começou ontem, então se você não leu o diário, volta lá que a gente te espera.

Como é o trem de Jaisalmer à Delhi

Foi lá? Legal, então vem com a gente que vamos contar mais um pouco dessa saga sobre os trilhos indianos.

Dormimos muuuuuito depois que entrou mais gente na primeira parada e só acordamos às 9:00.

Não foi uma noite de sono perfeita, mas até que deu pro gasto, considerando que estávamos na classe sleeper de um trem indiano, né.

Desmontamos a cama do meio do treliche, transformando a cama do meio em encosto e sentamos.

Nosso estômago já estava mal de tantas bolachas, chocolates e salgadinhos, pois ontem não jantamos adequadamente por causa do atraso do trem.

Veja aqui onde ficar em Delhi ou reserve pelo Airbnb e ganhe crédito de R$100,00.

Café da manhã no trem

Por sorte, passou um funcionário do trem vendendo café da manhã.

Perguntamos o que era e ele não entendeu. Pedi para ver, então ele abriu o embrulho, pegou o pão com a mão e levantou para mostrar o omelete dentro. Eita.

Estava parecendo bom, então compramos.

Como ir de trem de Jaisalmer para Delhi

Mas pegamos um outro, e não o que ele abriu, mas quer saber, qual é a diferença? Alguém pegou com as mãos para montar o lanche.

Chai?

Depois passou outro funcionário vendendo chai, o chá indiano.

O chai é uma mistura de ervas com leite quente e é muito bom. Tem um gosto único.

Eles passam com uma grande garrafa térmica na mão, com os copos com chai na outra e dizem bem alto: Chaiii!

Choque na chegada a Delhi

A chegada de trem de Jaisalmer à Delhi foi chocante.

Uma enorme favela beira os trilhos do trem. E-NOR-ME mesmo. Por meia hora, a paisagem na beira dos trilhos foi a mesma, barracos, barracos, barracos…

As pessoas vivem em condições precárias e usam os trilhos desativados como se fosse um quintal.

Chegamos na estação de Delhi às 17:00, 26 horas depois de termos chego na estação de Jaisalmer para embarcar.

Como andar de trem na India Delhi

Compramos o bilhete pré-pago de autorickshaw e subimos no transporte até o Bloco B de Connaught Place.

Cena estranha e tensa

Delhi é ainda mais poluída e bagunçada do que Calcutá. Incrível!

O motorista parou em um sinal e um policial entrou no autorickshaw.

Enquanto o autorickshaw voltou a andar, ele apontou para a bagagem e ficou falando em hindi.

Foi meio estranho e ficamos um pouco tensos, mas logo percebemos o que estava acontecendo e falamos que não entendíamos hindi.

Ele falou em inglês 50 Rúpias e apontou para a bagagem. Fizemos de conta que não sabíamos de nada e ficamos fazendo cara de perdidos…

O motorista parou. Perguntamos se ali era o bloco B e ele disse que sim. Descemos e o policial ficou falando 50 Rúpias.

– É pré-pago, é pré-pago. Não vamos pagar nada a mais.

Entregamos o bilhete e fomos embora.

Sai pra lá, meu… Ninguém vai arrancar dinheiro da gente assim não…

Depois, descobrimos que não era ali o bloco B, então pegamos outro transporte e fomos até lá.

Ai tem coisa

Chegamos no hotel escolhido no guia, o H.K. Choudhary Guest House e perguntamos o preço e se tinha vaga.

O recepcionista telefonou para alguém e ficou conversando um pouco.

Enquanto isso perguntamos de novo para o outro recepcionista e ele disse para esperar.

Ué, esperar o quê? Não sabe se tem vaga?

A Jú falou:

– Xiii, aí tem coisa, vamos embora logo…

O cara passou o telefone para eu falar com o chefe. Recusei. O que que eu tenho a ver com isso?

Perguntei de novo o preço e ele disse 1800 Rúpias. Agradecemos dando risada e saímos.

– Qual é o problema?
– Está caro demais.
– Quanto você paga?
– Não sei, mas esse hotel não vale 1800. Então, muito obrigado.

Paharganj

Pegamos outro transporte e fomos até a área Paharganj, onde se concentram muitos hotéis econômicos, mais no estilo dessa nossa viagem de mochilão.

Escolhemos o hotel Shelton. Quarto espaçoso, limpo e com chuveiro quente 24 horas por 500 Rúpias.

Jantamos no terraço do hotel, com uma incrível vista da… poluição de Delhi.

Tomamos banho e capotamos para descansar desse dia terrível.

Para planejar o seu roteiro na Índia, leia os outros posts aqui e para saber onde ficar, veja as opções de onde se hospedar em Delhi. Os passeios, as atividades imperdíveis na cidade e os transfers do/para o aeroporto você encontra aqui.

Douglas e Julia

Bio de casal? Como assim? É que alguns textos foram escritos juntos, então aqui estamos nós. Julia é gaúcha que solta uns 'ô meu' e Douglas é paulista que manda uns 'bah tchê'. São formados em Turismo e Hotelaria com especialização em Marketing, amam viajar e criaram esse blog em 2005. Já viu, né, viagem é o assunto principal deles.

4 thoughts on “Dia 120 – Como é o trem de Jaisalmer à Delhi – Parte 2

  • 12/11/2007 em 12:16
    Permalink

    Oi, Julia e Douglas!!!!!Vcs devem se alimentar direitinho,não podem passar comendo bolachas….se a comida está ruim, fecham os olhos rsrsrsrssr e comem.Bjsssssssss

    Resposta
  • 13/11/2007 em 13:02
    Permalink

    Oi pai.
    Falar é fácil… dificil e fazer…
    Alem disso, as bolachas ate q sao boas. hehehehe
    BJOOOOOO

    Resposta
  • 14/11/2007 em 19:05
    Permalink

    “Pegamos outro transporte e fomos até a área Paharganj, onde se concentram
    muitos hotéis.
    Escolhemos o hotel Shelton. Quarto espaçoso, limpo e com chuveiro quente
    24 horas por 500 Rúpias”
    … queria que vocês soubessem que estão dando um ensinamento grande a todos,
    inclusive para nós mochileiros viu!
    bjuxxx

    Resposta
  • 14/11/2007 em 21:04
    Permalink

    Oi Dete!
    Imagina, estamos aqui para trocar experiências.
    bjooooooooo

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *